Os 140 anos de nascimento de Luiz Pistarini em foto e poemas

0

Os 140 anos de nascimento do poeta Luiz Pistarini, autor do Hino de Resende, estão sendo celebrados pelo Arquivo Histórico Municipal que está com a exposição aberta ‘Resende no Tempo do Poeta Pistarini’, que conta um pouco da vida e da obra do resendense. Composta de textos, fotos e poemas, entre outros materiais, as ilustrações revelam a Resende do final do século XIX e início do século XX. Ela poderá ser visitada até o dia 24 de agosto, na sede do Arquivo Histórico, localizada no andar térreo da Casa da Cultura Macedo Miranda, aberta das 12 às 18 horas.

Luiz Pistarini nasceu em Resende no dia 25 de julho de 1877 e faleceu em 24 de fevereiro de 1918. Filho do músico Luis Pistarini e de Ermelinda Martins Carneiro Guimarães, passou parte de sua juventude em São Paulo e no Rio de Janeiro. Atuou como advogado e fez diversos trabalhos na imprensa. Trabalhou em jornais de Resende, Barra Mansa e do Rio de Janeiro. Colaborou para as revistas literárias da época e conviveu com figuras como Olavo Bilac, que muito o influenciou. Foi editor do jornal A Lira. Também trabalhou na Câmara Municipal de Resende.

Luiz Pistarini ficou reconhecido como o poeta do amor. Publicou dois livros de poesias: Bandolim e Sombrinhas Postais. Em 1924, após sua morte, foi publicado o livro Agonias e Ressurreições.

Sobre o Hino de Resende, o historiador e diretor do Arquivo Histórico, Claudionor Rosa, destaca que se trata de um dos símbolos da cidade, como a bandeira e o brasão. Claudionor conta um fato curioso sobre como surgiu o hino. “Nas comemorações do centenário de Resende, a Câmara Municipal não tinha dinheiro para os festejos. Um grupo de pessoas influentes foi atrás de recursos para fazer a festa. Quando estava tudo pronto, se deram conta de que, cem anos após sua fundação, a cidade ainda não tinha um hino, e resolveram utilizar uma poesia feita por Luiz Pistarini em 1901 e musicado pelo maestro Lucas Ferraz”, conta o historiador, acrescentando que a letra de Pistarini exalta as belezas naturais do município e a qualidades seu povo. “Sua primeira gravação, em 1950, foi feita pelo cantor Jorge Goulart, acompanhado pela Orquestra Tabajara”, lembrou.

error: Conteúdo protegido !