Suspeito de participação na morte de policial é preso e carro que pode ter sido usado pelos assassinos é encontrado

0

AGULHAS NEGRAS

Uma ação conjunta das Polícia Militar e Civil realizada na manhã desta quinta-feira, dia 30, em Itatiaia, culminou na prisão de um homem, de 28 anos, considerado foragido da Justiça. Contra ele havia um mandado de prisão em aberto por tráfico de drogas. De acordo com a Polícia Militar, o homem também é suspeito de ter participado da morte do policial militar, Clayton de Oliveira Valim, 34 anos, em Resende. Já na tarde de quarta-feira, dia 29, quase 15 horas após o crime, os policiais militares encontraram um VW Voyage, de cor cinza, que pode ter sido usado pelos criminosos. O carro estava em chamas na Estrada da Pedra Sonora, na Serrinha do Alambari, na região serrada da cidade.

Policiais do 37º Batalhão da Polícia Militar (BPM) receberam denúncia de que o suspeito de tráfico de drogas no bairro Nova Conquista, em Itatiaia,  estaria escondido em um imóvel na Rua Sete. Com o auxílio de policiais da 99ª Delegacia de Polícia (DP), os militares foram até o local e cercaram o imóvel. Após a ação, o suspeito acabou se entregando. “Nosso Serviço de Inteligência recebeu, durante esta madrugada, informações de que o foragido preso teria envolvimento com o homicídio do policial militar Valim. A informação daria conta de que ele estaria em uma residência entre as Ruas Seis e Sete no bairro Nova Conquista. Os policiais com o apoio dos agentes da Polícia civil foram até o local e conseguiram prender o suspeito”, contou o comandante do 37º Batalhão da Polícia Militar (BPM), o tenente-coronel William Caldeira de Freitas.

O tenente-coronel também confirmou que na tarde de quarta-feira, dia 29, quase 15 horas após o crime, os policiais militares encontraram o VW Voyage, de cor cinza, que pode ter sido usado pelos assassinos. O veículo foi encontrado ainda pegando fogo, na Estrada da Pedra Sonora, na Serrinha do Alambari. Após consultarem a Secretaria de Segurança, os policiais conseguiram verificar por meio dos números do chassi e do motor que o veículo foi roubado no bairro Realengo, na Zona Oeste da capital Fluminense, no último dia 17 conforme registro de ocorrência. “O carro pode ter sido usado mesmo pelos autores do homicídio do policial militar. As imagens da câmera de segurança mostram que o veículo tem as mesmas características do que foi usado pelos assassinos”, disse o comandante Freitas, acrescentando que as investigações sobre o crime continuam.

O foragido da Justiça foi encaminhado para a 99ª Delegacia de Polícia (DP). Ele será apresentado ainda esta semana na Cadeia Pública de Volta Redonda.

MORTE DE POLICIAL MILITAR

O cabo Clayton de Oliveira Valim, 34 anos, foi assassinado a tiros na madrugada de quarta-feira, dia 29, na frente de sua família quando saia de um bar no bairro Liberdade. Sua cunhada, de 38, também foi baleada.

O crime aconteceu por volta das 0h18min. Policiais do 37º Batalhão de Polícia Militar (BPM) foram acionados para comparecerem a um bar na Rua Claudio Manoel da Costa, onde teria ocorrido disparos de arma de fogo. No local, os policiais constataram que os tiros foram direcionados ao Toyota Corola, de cor preta, pertencente ao policial militar. “Familiares relataram que estavam no bar em uma confraternização da família. Após a confraternização, o policial, a mulher, o filho, de oito anos, a cunhada e outro parente seguiram em direção ao veículo quando dois homens armados efetuaram vários disparos de arma de fogo em direção ao policial que estava sentado no banco do motorista”, informou um policial ressaltando que a cunhada da vítima também foi atingida em um dos braços.

As vítimas foram socorridas por familiares e encaminhadas para o Pronto socorro do Hospital Municipal de Emergência. O policial militar não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital. A outra vítima, foi liberada após ter sido medicada.

Imagens das câmeras de segurança nas proximidades já foram recolhidas e estão com os agentes da civil. Nas imagens dá ver quando o motorista de um Volkswagen Voyage, de cor escura, dá uma marcha ré e em seguida dois homens encapuzados correm com armas de fogo em punho. Os criminosos fogem para local ignorado.

Peritos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) recolheram no local do crime várias cápsulas deflagradas e até intactas de calibres 45 e 40.

POLICIAL MILITAR ESTAVA AFASTADO DA CORPORAÇÃO

De acordo com a Polícia Militar, Clayton de Oliveira Valim, estava afastado da corporação. Ele é suspeito de envolvimento em tráfico de drogas e estava cumprindo prisão domiciliar em regime semiaberto.

Clayton foi preso em janeiro de 2020 junto com outro policial militar e outro homem em Porto Real. Eles foram flagrados transportando 26 tabletes de maconha, com 453 quilos da droga.

O comandante do 37º Batalhão da Polícia Militar (BPM), o tenente-coronel William Caldeira de Freitas falou sobre o crime. “Ele estava respondendo um crime de tráfico de drogas em uma ocorrência em 2020, em Porto Real e estava cumprindo uma prisão domiciliar beneficiada pela pandemia. Estava acautelado e não estava mais atuando pela Polícia Militar. Era para ele estar em casa, mas quebrou esta condição da prisão domiciliar e saiu”, informou o comandante Freitas.