Região apresenta queda de quase 43% no número de homicídios dolosos

0

SUL FLUMINENSE/RIO

Em um levantamento apresentado pelo Instituto de Segurança Pública (ISP) na terça-feira, dia 20, foi divulgado que os números de homicídios dolosos no Estado do Rio de Janeiro caíram 11% em junho deste ano na comparação com o mesmo mês de 2020. Em pesquisa feita pelo A VOZ DA CIDADE foi possível confirmar que o número também apresentou queda na região Sul Fluminense neste período, sendo de 42,43%. O delegado da 93ª Delegacia de Polícia (DP), Edézio Ramos, falou sobre as medidas que estão sendo aplicadas pela Polícia Civil de Volta Redonda que refletem nessa diminuição, lembrando que a maioria tem relação com o tráfico de entorpecente.

Segundo o ISP, no semestre, a queda registrada no Estado foi de 9% frente ao mesmo período do ano passado. Os dados representam os menores valores para o mês e para o acumulado do ano desde 1991. No total, foram 231 mortes em junho e 1.726 no compilado de 2021.

O indicador crimes violentos letais intencionais, que agrega homicídios dolosos, lesão corporal seguida de morte e latrocínio, teve queda de 9% em junho e de 8% no primeiro semestre deste ano na comparação com 2020. Os dados são os mais baixos para o indicador desde 1999 tanto para o acumulado quanto para junho.

No Sul Fluminense foram registrados nas delegacias 33 homicídios dolosos no mês de junho do ano passado. Neste ano, no mesmo período, o número caiu para 19. Volta Redonda, Barra Mansa e Paraty ficaram nos três primeiros lugares, respectivamente, entre as cidades aqui do interior. A primeira delas teve 17 ocorrências, sendo dez ano passado e sete este ano, Barra Mansa cinco em junho de 2020 e quatro no mês passado, e Paraty um total de seis, sendo cinco em 2020 e um agora. Angra dos Reis que costuma liderar o ranking de homicídios da região teve somente quatro somados os dois meses, ficando abaixo de Resende, que teve sete nos dois meses, e empatada com Barra do Piraí, que também teve quatro. Paracambi e Sapucaia tiveram dois registros, cada. Valença, Miguel Pereira, Mendes, Porto Real, Paraíba do Sul e Mangaratiba tiveram em cada uma das cidades um caso. Já Rio Claro, Pinheiral, Itatiaia, Engenheiro Paulo de Frontin, Vassouras, Piraí e Rio das Flores não tiveram ocorrências do crime em nenhum dos meses pesquisados.

CRIMES TÊM LIGAÇÃO AO TRÁFICO, GARANTE DELEGADO

Nesta quarta-feira, dia 21, o A VOZ DA CIDADE conversou com o delegado titular da 93ª Delegacia de Polícia de Volta Redonda, Edézio Ramos, sobre o assunto e ele afirmou que a maioria dos crimes tem ligação com o tráfico de drogas.

Ele lembrou que sua equipe, que está há quase um ano a frente 93ª DP, aumentou significativamente o número de elucidações de homicídios no município. “Na nossa cidade nos temos duas facções criminosas rivais, que é o Terceiro Comando e o Comando Vermelho. Por conta disso a gente acaba tendo guerra entre elas, o que acaba implicando o crime de homicídio”, disse o policial. “Então o pano de fundo de muitos crimes que ocorrem é o tráfico de drogas. É por isso que desde o início que entramos a gente trabalha em cima disso, porque esse trabalho faz com que ocorra uma queda nesses casos”, completou Edézio.

O delegado lembra que no dia 23 de junho prendeu em Minas Gerais o líder do Comando Vermelho na região. Alguns dias depois, um outro líder do tráfico de Volta Redonda. “Então a nossa ideia é exatamente essa. É enfraquecer o tráfico de drogas para que a gente consiga reduzir o número de mortes”, finalizou o delegado Edézio Ramos.

error: Conteúdo protegido !