Rede hoteleira lucra com a realização do Espadim na Aman, em Resende

1

RESENDE

A Academia Militar das Agulhas Negras (Aman) realiza hoje a cerimônia de entrega do Espadim, a réplica reduzida da espada de Duque de Caxias, para 418 Cadetes do Curso Básico. A tradicional solenidade mobiliza o turismo com a cadeia de hotéis, bares e restaurantes. Desde a sexta-feira milhares de visitantes chegam à Resende para prestigiar o evento. Neste ano, a turma de cadetes recebeu o nome “Dona Rosa da Fonseca – Patrono da Família Militar”, pois será a primeira turma mista de cadetes a receber o Espadim. Dentre os 418 militares envolvidos, 30 são mulheres. Em média, cada cadete conta com duas ou mais pessoas prestigiando a solenidade de ingresso na Aman.

A Academia divulgou que 15% dos militares no Espadim 2018 são da região Sul, 60% são da região Sudeste, 9% da região Centro-Oeste, 4% da região Norte e 12% da região Nordeste. Além de 10 cadetes de nações amigas: três da Arábia Saudita, dois do Senegal, um do Paraguai, um da Guiana Inglesa, dois do Vietnã e um do Timor Leste. A solenidade que terá início às 11 horas, no Pátio Tenente Moura, deve registrar público em torno de 1.500 expectadores, a maioria visitante de várias localidades e que devem utilizar a rede hoteleira local.

O River Park é um dos estabelecimentos com lotação máxima devido ao Espadim da Aman – Foto: Reprodução

Em pesquisa realizada pela reportagem do A VOZ DA CIDADE nos hotéis da região comercial da cidade, situados a cerca de 1km da Aman, a taxa de ocupação devido ao Espadim é alta. Há estabelecimentos com 100% de ocupação e outros que devem pleiteiam atingir esse patamar contando com os visitantes de última hora. “Nossa taxa de ocupação esta em 100%. São em torno de 90 apartamentos reservados para este fim de semana devido ao Espadim. Felizmente o calendário de eventos da Aman favorece a rede hoteleira, carente de uma programação que nos favoreça. Sem o Espadim, a taxa de ocupação era mantida entre 20% e 30%”, comenta Renata Felipe Pereira, gerente do River Park Hotel, em Campos Elíseos, com diárias para duas pessoas, a partir de R$ 400.

A expectativa no setor é de lucro elevado, principalmente com os visitantes sem reserva agendada. O gerente Valdemar Botelho, do Castel Plaza Hotel, em Campos Elíseos, registrava até esta sexta-feira a taxa de ocupação em 30% – cerca de 20 apartamentos reservados para o fim de semana do Espadim. “Nosso movimento está crescendo sim, no momento temos 30% das suítes reservadas. A perspectiva, ainda que registrando movimento inferior ao mesmo período de 2017, é que o Espadim traga mais visitantes até sábado. A diária para um casal custa a partir de R$ 350”, argumenta.

OSCILAÇÃO

Em outros dois hotéis na região comercial da cidade, o impacto do Espadim é positivo. Familiares dos cadetes envolvidos na cerimônia garantiram quase que a totalidade das reservas até a tarde desta sexta-feira. “A procura de estadia durante o Espadim e o Aspirantado é sempre grande na rede hoteleira da cidade, afinal a demanda é enorme pelo total de militares envolvidos. No Espigão Palace Hotel a taxa de ocupação gira entre 90% e 95%”, disse o gerente André Vilela, que também coordena outro empreendimento vizinho. “No Resende Inn a taxa de ocupação esta um pouco mais baixa no momento, em torno de 50%”, conta, ressaltando que ambos os estabelecimentos tem cerca de 70 apartamentos ocupados e diária para casal a partir de R$ 290.

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !