Barra Mansa conta com programas para tirar adultos e jovens do mundo das drogas

0

BARRA MANSA

Durante a última semana o A VOZ DA CIDADE recebeu a visita de representantes da Prefeitura de Barra Mansa, guiados pelo responsável pela Coordenadoria Municipal de Políticas Sobre Drogas (Compod), César Tomé, para um bate papo sobre drogas. Na ocasião, eles explicaram sobre o projeto “Para que todos saibam”, que tem como objetivo direcionar famílias e usuários aos órgãos responsáveis, expondo como e onde fazer, o que é feito e principalmente, informar a essas pessoas, que seu problema tem solução e que a prefeitura tem um programa específico para cada um deles.

Estiveram presentes na ocasião o representante com Centro de Atenção Psicossocial Infanto Juvenil Atendimento para Crianças e Adolescentes (Capsi), o coordenador e psicólogo Ivan Alves da Cunha; a assistente social Denise da Cunha, coordenadora do Ambulatório para tratamento de uso de álcool e outras drogas – Espaço Reviver; e a representante da equipe técnica do Programa de Controle ao Tabagismo, Bianca Arlindo.

Segundo César Tomé, hoje o município tem 180 mil habitantes e, infelizmente, as drogas (uso abusivo) estão cada vez mais presentes nos lares, não só dos munícipes, mas de todos os brasileiros. “Estamos realizando o programa ‘Para que todos saibam’ para que o barra-mansense conheça o que o município oferece em relação às políticas antidrogas e saiba qual o local apropriado deverá procurar e o que ele vai encontrar lá, em cada um deles”, disse o responsável pelo Compod.

CAPSI

O Centro de Atenção Psicossocial Infanto Juvenil Atendimento para Crianças e Adolescentes funciona das 8 às 17 horas, de segunda a sexta-feira, na Avenida Francisco Vilela de Andrade Neto, n° 337, no Centro de Barra Mansa. O telefone para contato é o 3323-6077. Segundo o coordenador Ivan Alves, o local realiza atendimento para crianças com autismo, com Transtorno do Déficit de Atenção (TDA), transtornos psicóticos e usuários abusivos de drogas. “Hoje, o que mais recebemos durante a semana são adolescentes que cometeram automutilação. Isso ocorre principalmente entre as meninas, que cometem tentativa de suicídio”, disse Ivan, expondo que hoje 230 pessoas são atendidas pelo Capsi e 400 estão em avaliação. “Além disso, temos os nossos grupos com as famílias e, também, somos pioneiros na inclusão dos nossos jovens nas escolas. Hoje, 90% dos nossos assistidos estão estudando e temos uma equipe capacitada para visitar a instituição para instruir os professores de como trabalhar com aquele aluno em especial, para que o mesmo tenha direito a educação como qualquer outra criança”, comentou ele, lembrando que Capsi conta com um médico psiquiatra, várias atividades recreativas e muitas oficinas.

ESPAÇO REVIVER

O ambulatório para tratamento de uso de álcool e outras drogas – Espaço Reviver realiza atendimento para adultos e está localizado na Rua Pedro Vaz, n° 57, no Centro. O telefone para contato é o 3323-5005.

Segundo Denise Cunha, o local realiza o tratamento do uso abusivo de álcool e outras drogas, atuando não só com os usuários, mas também com toda a família. “Hoje temos 2.300 pacientes cadastrados e 700 ativos dentro do Espaço Reviver. Entre os serviços realizados com os nossos assistidos, temos entre eles oficinas, grupos de família, grupos com terapeuta, atendimento individual, atendimento psiquiatra, clínico geral, oficinas de habilidades manuais, oficinas de estimulação cognitiva, futsal, artesanato, geração de renda, entre outros”, contou Denise, explicando que para que o trabalho seja realizado com excelência, eles contam com assistentes sociais, psicóloga, terapeuta ocupacional, profissional de educação física, técnica de enfermagem e pedagoga.

Sobre a classificação do trabalho realizado no local, Denise Cunha pontua que em primeiro lugar vem o uso abusivo de alcoolismo, com 39%; depois os usuários de cocaína com 21%, 18% usuários de maconha, e por último 9%, fumantes. “É um trabalho muito importante e que a presença familiar em ajudar a pessoa a perder o vício é de suma importância. Se a pessoa quer abandonar o vício, pode nos procurar. É só ligar para cá e marcar uma visita. Não é necessário nenhum encaminhamento”, concluiu a assistente social.

CONTROLE DE TABAGISMO

Outro importante trabalho realizado pela Secretaria Municipal de Saúde de Barra Mansa é o Programa Municipal de Controle ao Tabagismo (PMCT), que acontece no Centro de Especialidades Médicas. O CEM fica na Rua Luiz Ponce, também no Centro, n° 213. O telefone para contato é  o 3322-9192.

Segundo a técnica do Programa de Controle ao Tabagismo, Bianca Arlindo, 2.500 castradas no programa, que incluí tratamento de doenças crônicas não transmissíveis, como diabete, obesidade e hipertensão. “O que podemos antecipar em primeira mão para todos é que hoje esses serviços são realizados no Cem, mas a partir de janeiro do ano que vem também serão disponibilizados nas Unidades de Saúde de Família (USF) dos bairros”, antecipou Bianca, explicando que quem tiver interesse em participar já pode se inscrever nos postos dos bairros.

“Nossa demanda é sempre livre e no nosso grupo de tabagismo, temos como maioria mulheres. Hoje, o tabagista ficou muito excluído da sociedade e tem muita gente que tem o interesse em parar de fumar para voltar a se socializar, tanto dentro de casa como no trabalho, entre amigos”, disse, dizendo que 70% são mulheres.

Além disso, durante o programa de tabagismo, que dura cerca de um ano, é feito o Teste de Fagerstrom, que auxilia a estimar o grau de dependência da nicotina. “Ele é utilizado como uma ferramenta na terapia para quem deseja parar de fumar”, falou Bianca, dizendo que o cigarro mascará muitos problemas de saúde, por isso é importante ter consciência primeiro, de nunca colocar um na boca e segunda, para quem já faz, para urgentemente.

FORÇA E FOCO

O trabalho que vem sendo realizado pelo coordenador César Thomé também foi muito elogiado pelos visitantes. Ele está a frente do Compod, que fica no Parque da Cidade Natanael Geremias, desde o governo anterior, mas explica que a coordenadoria só ganhou mesmo força no governo do prefeito Rodrigo Drable (MDB). “Com a nova administração conseguimos reestruturar o Compod e ampliar mais o leque do nosso trabalho e temos mais espaço para atuar dentro e fora das escolas, levando o conhecimento, por meio de palestras, nas instituições de ensino mostrando que a vida de usuário ou traficante não é uma vida de bônus, muito diferente do que quem usa ou vende tenta insinuar para que não usa. É uma vida de ônus, solitária, de humilhação”, defende, explicando que acompanha, também o trabalho que vem sendo realizados dentro das instituições, por meio dos professores; e que acompanha as apreensões da Ronda Escolar. “Quando observo um crescimento de drogas apreendidas ou de traficantes sendo presos próximos aos colégios, eu sempre me reúno com a direção, pois se tem tráfico, tem usuário, e não podemos deixar que isso se alastre”, ponderou.

Thomé expôs para o A VOZ DA CIDADE que viveu na pele o inferno das drogas e que por isso hoje trabalha incansavelmente para que outras pessoas não passem pelo que ele já passou, nem outras famílias sofram a que a dele já sofreu. “Foram 15 anos de sofrimento. Mas consegui me recuperar. Consegui sair dessa e digo, sem ajuda não é possível. Encontrei a ajuda de Deus, mas também tive ajuda de pessoas especializadas, que trabalham com isso. Por isso, amo o que faço e quero evitar que as pessoas tenham que ir nesse inferno para saber das consequências. Aos que já foram eles precisam de ajuda”, concluiu César Thomé.

Deixe um Comentário

error: Conteúdo protegido !