Volta Redonda Futebol Clube: 44 anos de paixão em amarelo, preto e branco

0

VOLTA REDONDA

No último dia 9, o Voltaço completou 44 anos de fundação. Durante estes longos anos, a equipe que é orgulho da cidade Aço conquistou alguns importantes títulos. Entre eles está a conquista, de forma invicta, da Série D do Campeonato Brasileiro de 2016. Nos dias atuais, muitas pessoas não têm ideia de como surgiu o Volta Redonda Futebol Clube que tem em seu uniforme as cores da cidade: amarelo, preto e branco. O A VOZ DA CIDADE conta como nasceu o Tricolor de Aço e apresenta suas principais conquistas ao longo dos anos.

Até o ano de 1975, as únicas equipes profissionais existentes na cidade do Aço eram o Flamengo de Volta Redonda, conhecido como ‘Flamenguinho’ ou ‘Flamengo da Vila Americana’, que foi fundado em 28 de janeiro de 1971 e o Guarani Esporte Clube, fundado por trabalhadores da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) no dia 8 de agosto de 1944, com o nome de ‘Gasômetro Esporte Clube’, mas por imposição da Liga de Desportos de Volta Redonda (LDVR) mudou de nome.

Contudo, no mesmo ano ocorreu a fusão dos estados do Rio de Janeiro e da Guanabara e, consequentemente, a fusão das federações dos dois estados, surgindo assim a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) que passou a gerir o futebol no estado.

Com todas essas mudanças, o então presidente da Liga de Desportos de Volta Redonda, Getulio Albuquerque Guimarães com apoio do presidente do Flamenguinho, Guanayr de Souza Horst, iniciou a movimentação visando à criação de um clube de futebol para representar a cidade de Volta Redonda no novo Campeonato Estadual do Rio de Janeiro.

Após dias de discussão na sede da recém-criada Ferj, houve uma corrida contra o tempo para montar a estrutura necessária para a existência e criação de um time de futebol profissional no município. O presidente do Flamenguinho defendia que deveria ser esse o time representante de Volta Redonda, tendo sido Clube Regatas Flamengo de Volta Redonda o primeiro nome a ser escolhido.

No dia 9 de fevereiro de 1976, ficou definido que haveria um novo time e que ele se chamaria Volta Redonda Futebol Clube e que teria as mesmas cores da cidade: preto, amarelo e branco.

Na ocasião, foi escolhido como primeiro presidente Ysnaldo dos Santos Gonçalves, irmão do então prefeito da cidade, Nelson dos Santos Gonçalves. Na época, o Estádio Raulino de Oliveira pertencia à Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) e era administrado, em regime de comodato, pelo Guarani Futebol Clube. A Prefeitura de Volta Redonda, a CSN e a Confederação Brasileira de Desportos (atual Confederação Brasileira de Futebol – CBF), fizeram um acordo e reformaram o estádio, para que abrigasse a recém-criada equipe da cidade do Aço.

Nessa década, o Volta Redonda participou por três vezes da Série A do Campeonato Brasileiro, de 1976 a 1978. No último ano, obteve a melhor participação de sua história, encerrando sua participação na 32ª colocação entre os 74 participantes.

Dando sequencia de sua participação em competição nacional, o Volta Redonda Futebol Clube, na Série B do Campeonato Brasileiro de 1982, no dia 24 de janeiro, aplicou a maior goleada da história da competição até então: 8 a 0 contra o Operário-MT. A marca só foi superada 24 anos depois, pelo Paulista, que derrotou o Paysandu por 9 a 0 em 2006.

FAZENDO HISTÓRIA

Túlio Maravilha beijando a Taça Guanabara de 2005 – Foto: Divulgação


Em 1994, a equipe da cidade do Aço fez história ao conquistar o título da Copa Rio pela primeira vez.

Na grande decisão, disputada no dia 15 de dezembro, jogando no Estádio Laranjeiras, o Volta Redonda derrotou o Fluminense Football Club na disputa por pênaltis e se tornou o primeiro clube do interior do Estado do Rio a vencer a competição que estava na sua quarta edição. O Tricolor de aço ainda conquistou mais três títulos da competição.

Em 1995 derrotou o Barra de Teresópolis e conquistou o bicampeonato. Já no ano de 1999, ao vencer o Madureira, no dia 8 de dezembro, conquistou o tricampeonato da Copa Rio. No ano de 2007, foi mais uma vez campeão da Copa Rio, tornando-se o maior vencedor da competição ao derrotar a Cabofriense nos pênaltis.

Com a conquista do ano de 1995, o Volta Redonda se qualificou para disputar a Copa do Brasil. Foi nesse mesmo ano, também, que o clube obteve sua melhor classificação no Campeonato Brasileiro da Série C. Após avançar na primeira fase, o Voltaço eliminou Santo André, Botafogo-SP, Linhares EC, Rio Branco e Atlético Goianiense até chegar à final contra o XV de Piracicaba. No primeiro jogo da decisão, o time da cidade do Aço foi derrotado por 2 a 0 em Piracicaba. Na partida de volta, em casa, derrota por 1 a 0, o que confirmou o vice-campeonato nacional.

A CONQUISTA DA GUANABARA

Túlio Maravilha beijando a Taça Guanabara de 2005 – Foto: Divulgação


No ano de 2005, a equipe da cidade do Aço conquistou pela primeira vez a Taça Guanabara, o primeiro turno do Campeonato Carioca, após derrotar o Americano nos pênaltis. Com a conquista, o Volta Redonda se credenciou para disputar a final do Campeonato Carioca contra o Fluminense, vencedor da Taça Rio. No primeiro jogo da decisão, o Voltaço venceu por 4 a 3. Com a vantagem, o clube poderia empatar na partida de volta para levar o título. No entanto, o Fluminense venceu por 3 a 1 e ficou com o título de Campeão Carioca.

NA COPA DO BRASIL

Em 2006, o Voltaço fez sua melhor campanha na Copa do Brasil: após deixar para trás América Mineiro, Atlético Paranaense e 15 de Novembro, o Voltaço só foi eliminado nas quartas de final, pelo Vasco da Gama. Com o título da Copa Rio de 2007, o clube se qualificou para disputar a Copa do Brasil de 2008, torneio no qual foi eliminado na segunda fase.

TAÇA RIO E SÉRIE D DO BRASILEIRO

Esquadrão de Aço comemora conquista da Taça Rio de 2016 – Foto: Divulgação


Em 2016, o Volta Redonda conquistou a Taça Rio após derrotar o Resende, em jogo único, por 3 a 0. Os gols da conquista, disputada em São Januário foram marcados por Dija Baiano, Bruno Barra e Tiago Amaral, o artilheiro do Campeonato Carioca.

No segundo semestre, conquistou o Campeonato Brasileiro da Série D, o primeiro título nacional de sua história. Com uma campanha irretocável, com dez vitórias e seis empates, o Volta Redonda se tornou a segunda equipe a vencer a competição de forma invicta. Na grande final contra o Centro Sportivo Alagoano (CSA), a equipe da cidade do Aço segurou o empate por 0 a 0 no Estádio Rei Pelé. Na partida de volta, atuando sob seu domínio e, com apoio da sua fiel torcida, o Volta Redonda engoliu o rival e aplicou uma goleada de 4 a 0. Os gols foram marcados por Marcos Júnior (2), David Batista e Dija Baiano. A vitória garantiu o título invicto e a primeira taça em âmbito nacional do Tricolor de Aço.

Tricolor de Aço comemora a conquista do título da Série D nacional – Foto: Lucas Figueiredo/CBF

DIAS ATUAIS DO VOLTAÇO

O Volta Redonda é o clube do povo, e que já nasceu grande, jogando a Série A, e a cada ano vem ganhando mais espaço no cenário nacional. Chegamos aos 44 anos consolidados como a quinta força do futebol do estado do Rio de Janeiro”, comentou o mandatário do Tricolor de Aço, Flávio Horta, lembrando que o clube da cidade do Aço ocupa a 56ª posição no ranking da CBF, com 1.791. “Demos uma arrancada nos últimos cinco anos e subindo 63 posições no ranking com grandes conquistas durante toda a história do Volta Redonda Futebol Clube, como o tetra da Copa Rio, a Taça Guanabara, a Taça Rio e a inesquecível Série D, dentre outros títulos marcantes”, citou o presidente lembrando que essa é a melhor colocação já alcançada pelo Esquadrão de Aço, na história do ranqueamento nacional.

O mandatário ainda lembrou a sequência de participação do Voltaço na Série C do Campeonato Brasileiro. “Hoje temos um calendário cheio de competições, estamos jogando a Série C pelo quarto ano seguido, almejando e trabalhando para conseguir o acesso à Série B. temos a Copa do Brasil e estamos sempre entrando no Estadual para brigar lá em cima”, citou Horta.

DIVISÕES DE BASE

O presidente do Voltaço fez questão de falar sobre o trabalho com as categorias de base do clube. “Realizamos um trabalho silencioso visando o fortalecimento da nossa base. Hoje revelamos e continuamos revelando grandes nomes do futebol nacional. Trabalho que alcançou outro patamar com o certificado de clube formador, que nos colocou em um seleto grupo junto com cerca de 5% dos clubes do Brasil que possuem a certificação”, comemorou o dirigente enaltecendo o empenho de todos dentro clube acreditaram na proposta de fortalecer a base.

FORA DAS QUATRO LINHAS

Já fora das quatro linhas, Flávio Horta comentou que o clube conseguiu o Profut, que é o Programa de Modernização da Gestão e de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro, que é um programa destinado a incentivar clubes, ligas, federações estaduais e CBF a adotarem práticas modernas de gestão em contrapartida da concessão de parcelamento e redução de débitos tributários e não-tributários com a Receita Federal, Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, Banco Central e débitos relativos ao FGTS. “Estamos trabalhando para ajustar as finanças do clube e seguir abatendo as dívidas. Tudo isso é fruto de um trabalho que, muitas vezes chega a ser silencioso, mas que, com certeza, fará um Volta Redonda Futebol Clube muito mais forte no futuro”, destacou Flávio Horta.

A FAMÍLIA VOLTAÇO

“Enfim, neste aniversário, queremos agradecer a todos que contribuíram e contribuem com o crescimento do Volta Redonda Futebol Clube, tanto dentro, quanto fora das quatro linhas. “Hoje, não é a toa que o Volta Redonda é uma família. Temos muito que agradecer os nossos torcedores, funcionários, diretoria, atletas… Formamos a família Voltaço e, juntos, seguiremos trabalhando muito para fazer um Esquadrão de Aço cada vez mais forte”, garantiu o presidente Flavio Horta.

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !