Pré-candidato a prefeito diz que Barra Mansa se tornou uma ‘cidade dormitório’

0

BARRA MANSA

O pré-candidato a prefeito de Barra Mansa pelo PDT, Antônio César e Silva, o Tuca, destacou que o município precisa focar no desenvolvimento econômico para conseguir desenvolver outros setores, como, por exemplo, saúde e educação.

Tuca ressaltou que a cidade vem sofrendo anos de decadência e que isso não é culpa de apenas uma gestão, mas de falta de planejamento e experiência com o que realmente deve ser feito. Um dos pontos observados pelo pré-candidato é que, Barra Mansa já se tornou uma ‘cidade dormitório’. “Já são anos de decadência. A arrecadação ICMS foi menor que o fundo de participação, caracterizando uma cidade dormitório, que é quando se tem baixa atividade econômica. Se você comparar Barra Mansa, Volta Redonda e Resende, se observa que estamos muito longe da média para pelo menos chegar próximo a esses municípios, em questão de arrecadação”, afirmou, lembrando que sua especialidade, com anos de serviços prestados em diversos setores, é tirar coisas do fundo do poço. “O momento requer experiência e conhecimento. A gente precisa mudar e agora é a hora” expôs.

Tuca, que atualmente é administrador de empresas, conta já passou por diversos setores da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), e que a empresa foi para ele uma escola de gestão. “Entrei em 1985 na empresa através de concurso e fiz uma carreira lá dentro. Fui técnico de qualidade, supervisor de turno e aposentei como gerente de divisão. Gerenciar isso tudo foi um grande aprendizado”, disse, completando que após sair da empresa, começou a coordenar a campanha de Anthony Garotinho para governador em 1998. “Daí em diante passei por diversos lugares, como o Instituto de Peso e Medidas do Rio (Ipem), Companhia de Desenvolvimento Industrial (Codin) e depois voltei para Barra Mansa e abri uma empresa de representação comercial. Em todos esses setores, tive a oportunidade de desenvolver trabalhos de qualidade que fizeram a diferença”, afirmou.

O pré-candidato chegou a tentar o cargo do Executivo nas eleições de 2012, mas voltou atrás, para apoiar Jonas Marins, prefeito vencedor na época. Ele foi então o secretário de Desenvolvimento Econômico. “Trabalhei para que a cidade se desenvolvesse de alguma forma. Fiz as quatro maiores feiras de negócio, a Flumisul, pelo menor preço. Em 2015 organizei a decoração de Natal, a primeira casa de Papai Noel que foi montada na praça, com a presença ainda de um desfile. Quando a Litográfica Valença estava perdendo o incentivo fiscal, consegui a prorrogação de um novo e atualmente é uma das maiores fábricas de latas do Brasil”, informou.

Tuca ainda lembrou que como secretário fez o Centro de Atendimento ao Trabalhador e Empreendedor Individual (Cate), que possibilitou que pequenos negócios crescessem, gerando interesse do Sebrae nacional. E criou o BM Invest, que funcionava como um incentivador para empresas. Em 2016, Antônio César veio também como candidato a vice-prefeito de Wesley Carlos de Brito, Wesley da Farmácia. Devido ao escândalo na saúde de Jonas Marins, Wesley, que era o candidato do governo, ficou em último lugar.

Pensando em desenvolvimento

“Para Barra Mansa crescer, tem que focar no desenvolvimento econômico, porque se não tiver isso, a gente não tem desenvolvimento social. Não tem saúde, educação, sem recurso. Mas para atender as grandes empresas, tem que ter tecnologia e inovação”, afirmou, lembrando que a cidade é a segunda em extensão na Dutra, ficando atrás de Piraí. “E isso não é aproveitado. Em Resende, há quilômetros de marginal e nossa cidade não tem isso. Com uma marginal, muitas empresas procurariam Barra Mansa para se instalar e você gera mil postos de trabalho na margem da Dutra, mas para isso teria de haver um investimento de aproximadamente R$ 50 milhões”, afirmou Tuca.

Ainda de acordo com o pré-candidato, é possível levar empresas para Barra Mansa. “Disso eu tenho certeza. Não digo grandes empresas, mas gerar atividade econômica sim. A cidade deve ter aproximadamente 100 campos de futebol em áreas da prefeitura, que estão paralisados. Imagina essas áreas sendo colocadas para gerar emprego”, questionou, completando que, o incentivo fiscal é um caminho. “Atualmente, um grande obstáculo para o crescimento da cidade tem sido o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae), que ao invés de prestar o serviço que tem que ser feito, está pintando ponte, fechando buraco, fazendo asfalto, mas enquanto isso toda a rede de água está antiga e vazando, fazendo 50% da produção ser jogada fora. Quando uma empresa quer um terreno para se instalar na cidade, até tem, mas quando diz que vai precisar de um grande fornecimento de água, encontra grande dificuldade, porque não tem”, lamentou.

Saúde será outro ponto de governo de Tuca se for eleito, frisando importância de um hospital municipal. Além disso, defensor do ensino integral, a educação será trabalhada para funcionamento completo, além de uma conversa entre escolas da rede e do estado.

error: Conteúdo protegido !