Movimento ‘Vem Pra Direita’ promove ato para a prisão do Lula em Volta Redonda    

0

Segundo a Guarda Municipal de Volta Redonda, cerca de 500 pessoas, entre jovens, crianças e adultos participaram, na noite desta terça-feira, 3, do ato, com o slogan  “Ou você vai, ou ele volta!”, em prol da prisão do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O manifesto, que foi organizado pelas redes sociais pelo ‘Movimento Vem Pra Direita’, teve início na Praça Brasil, na Vila Santa Cecília, com falas dos organizadores e apresentação de telão. Em seguida, os manifestantes seguiram a pé, atrás do carro de som com telão de led e um mini trio elétrico, pela Rua 14, passando pelas outras principais ruas do bairro.

Com faixas, bandeiras do Brasil e apitos, vestindo, a maioria, camisetas amarelas e verdes os manifestante iniciaram a caminhada cantando o Hino Nacional Brasileiro e gritando palavras de ordem. O grande objetivo do ato, segundo o coordenador do Movimento Vem pra Direita, em Volta Redonda, Hermiton Moura, é impedir o Habeas Corpus do ex-presidente Lula. Destacou ainda que, espera pela rejeição do pedido do Habeas Corpus preventivo, já que o julgamento dele será realizado, nesta quarta-feira, 4, pelo Supremo Tribunal Federal (STF), em Brasília. Vale lembrar que, a Suprema Corte vai analisar o Habeas Corpus que dirá se Lula será preso ou irá aguardar todos os recursos cabíveis em liberdade.

A NÍVEL NACIONAL

Ainda de acordo com os organizadores, o manifesto que aconteceu em Volta Redonda se repetiu a nível nacional, justamente na véspera em que acontece o julgamento do ex-presidente. Lembraram que, se o Lula tivesse sido julgado em outro país, com certeza, já estaria preso por tudo que já foi provado contra ele. Por isso, a idéia foi reunir o maior número de pessoas nas ruas e pressionar os ministros que irão apreciar o Habeas Corpus no STF.

Disseram também os organizadores que, os atos pacíficos foram convocados em todo Brasil, ontem, por ser um dia antes do STF decidir o futuro do ex-presidente Lula, já condenado em segunda instância a 12 anos e um mês de prisão pelo Tribunal Regional Federa da 4ª Região (TRF-4). Ainda segundo os organizadores, o povo brasileiro quer o fim da impunidade e a manutenção das prisões após condenação em segunda instância, uma das ferramentas encontradas pela Operação Lava Jato para combater a impunidade dos saques de R$ 6 bilhões feitos por corruptos nos caixas da Petrobrás, uma empresa que pertence ao Brasil.

DECISÃO

Ainda nesta quarta-feira, o Supremo Tribunal Federal (STF) deverá decidir se a prisão do Lula após o julgamento em segunda instância já permite a reclusão imediata do sentenciado nos casos de condenação ao regime fechado. Essa decisão se aplicará não somente no caso do ex-presidente Lula, mas para todos os demais casos.

Na verdade, a Corte Suprema tem uma difícil escolha e caso decida pelo não início de cumprimento da execução penal, após o trânsito julgado na segunda instância, irá colocar em liberdade dezenas ou centenas de sentenciados que poderão voltar a delinquir. Mas se manter o início da execução penal após a decisão judicial de segunda instância, há outra questão que ainda deverá ser enfrentada, o aumento do número de sentenciados.

Para muitos, o clima lembra o período que antecedeu a Revolução Francesa. Lembram que, o Terceiro Estado, povo esclarecido, clama por justiça. E para atrair o maior número de manifestantes para as ruas ontem, aconteceu uma enorme movimentação pela internet.