Fundos Multimercados – Alguém experiente investindo meu dinheiro!

0

Você já guardou sua reserva de emergência, aquela que deve ser composta por seis vezes a sua renda mensal, continua guardando um dinheirinho todo mês e agora está em dúvida sobre o que faz com ele. A Internet fala de tantas opções. São ações, derivativos, títulos públicos e privados, fundos imobiliários, títulos de dívida, mercado futuro, mercado à vista, ufa! Pra quem anda por esse meio há pouco tempo, às vezes tudo fica muito confuso, parece que a cabeça dá um nó, e pra solucionar esta angústia eu te apresento os fundos multimercados.

Como o nome já diz, estes fundos atuam em múltiplos mercados, buscando as estratégias mais eficazes dentro do objetivo do fundo, para entregar a melhor rentabilidade. Você paga uma taxa de administração e o gestor do fundo se encarrega de escolher quais os melhores investimentos para compor sua carteira e quando devem ser trocados. Um fundo como este exige mais expertise da pessoa que vai escolher os ativos, ou seja, dá mais trabalho cuidar dele do que de um só de títulos públicos, por exemplo, e por isso, as taxas de administração costumam ser mais caras que as encontradas nos fundos de Renda Fixa.

Outra taxa que também é comum de ser encontrada é a taxa de performance, ela é uma porcentagem que incide sobre a rentabilidade que superar o benchmark. Por exemplo: o fundo ‘Itaíse’ tem como benchmark o CDI e cobra taxa de performance de 15%, logo, o objetivo do fundo é ultrapassar o CDI e toda vez que ele conseguir esta proeza, 15% do que foi ultrapassado fica para o gestor como um prêmio.

Eu, particularmente, gosto de taxa de performance, significa que o gestor vai trabalhar ainda mais motivado pra fazer o meu dinheiro render cifras maiores. Existem fundos multimercados para todos os níveis de tolerância a risco. Tem aqueles que são pouco voláteis, mas podem te oferecer rentabilidade acima da renda fixa tradicional. Existem outros um pouco mais arrojados, que investe em mercados mais específicos, podendo oferecer perdas expressivas em busca de retornos significativos, e também tem aqueles que são um verdadeiro teste para cardíacos. Os resultados podem subir ou descer em uma velocidade que assusta quem não tem muita experiência no mercado. Pra você escolher o fundo que deve entrar, antes de tudo procure saber qual é a Vol do fundo, é um indicador para a quantidade de risco que tem dentro dele. Quanto maior a Vol, maior a possibilidade de retorno, porém maior também é a exposição ao risco.

Agora é só analisar o histórico de alguns fundos e escolher o que possui o retorno mais consistente e que esteja dentro do seu nível de tolerância a risco. Não adianta fazer um belo investimento e ficar sem dormir. E lembre-se! Nunca deixe todos os ovos na mesma cesta!

Deixe um Comentário

error: Conteúdo protegido !