Entidades de Barra Mansa defendem a abertura do comércio

7

BARRA MANSA

Em meio à ordem para fechamento do comércio em Barra Mansa devido à pandemia do coronavírus, os lojistas da cidade já começaram a demitir funcionários, segundo levantamento prévio realizado pela Associação Comercial, Industrial, Agropastoril e Prestadora de Serviços de Barra Mansa (Aciap-BM), Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) e Sindicato do Comércio Varejista (Sicomércio).

Segundo o presidente da Aciap-BM, Bruno Paciello, a situação pode se agravar nas próximas semanas. “Mesmo renegociando o pagamento de fornecedores, se os estabelecimentos continuarem fechados inevitavelmente teremos mais demissões. Os empresários já vêm de um longo período de vendas fracas e não têm, neste momento, caixa para manter impostos, aluguel de imóvel e folha salarial com os empreendimentos fechados”, argumentou Bruno.

Para o tesoureiro da Aciap-BM, o contador Fábio Marassi, as medidas efetivadas pelo governo federal até agora, com a flexibilização nas regras de concessão de férias e banco de horas, são positivas, mas não serão suficientes para segurar o setor por muito tempo. “Precisamos de medidas que aliviem o impacto de pagamentos de salários e prazo maior para pagar ICMS e impostos federais”, defendeu Marassi.

Na semana passada, as entidades apresentaram ao prefeito Rodrigo Drable proposta para reabertura das lojas em horário reduzido. “Os estabelecimentos funcionariam das 9 às 14 horas, com todos os cuidados necessários para garantir a proteção dos funcionários e clientes, com uso de máscaras, luvas e disponibilização de álcool em gel. Cada lojista seria responsável por fazer a higienização diária da calçada em frente ao seu imóvel”, descreveu Leonardo dos Santos, presidente da CDL-BM.

O presidente do Sicomércio, Hugo Tavares, reforçou que as entidades estão preocupadas com a saúde da população e também com a economia do município. “Estamos sendo responsáveis e propondo medidas que possam garantir a manutenção de empregos e renda dos funcionários do comércio”, afirmou Hugo.

Arivaldo Mattos, presidente do Conselho de Desenvolvimento Econômico de Barra Mansa, afirmou que o momento é muito complexo, no qual é preciso equilíbrio para tratar de todas as situações. Atualmente, Barra Mansa registra poucos casos da Covi-19, sem nenhum óbito. “O sistema de saúde local está funcionando sem sobrecarga. Então, neste cenário, defendemos a abertura das lojas em horários que provoquem menos aglomeração no transporte público e menos movimentação dentro dos estabelecimentos. Caso a situação mude, a cidade registre mais casos e o sistema de saúde fique comprometido, voltamos a fechar as lojas”, finalizou.

7 Comentários

  1. A procura por recursos já deveria ter sido feita mas se não fez até agora e hora de fazer pra evitar mais demissões infelizmente se o cenário não mudar eu concordo com os comerciantes desde de que acatou as medidas do governador não e hora de achismo mas Sr prefeito alguma coisa tem que ser feita

  2. creio que com sabedoria cheamos a um ponto de equilibrio, o comercio tem que movimentar isso é condição sinequano ou seja obrigatorio como fazer – lo então, com responsabilidade exemplo igrejas vc fazem cultos com hora reduzida a sacolinha com menor tempo possivel e maior rotatividade de cultos pois é sabido que o povo ja tem mal formação escolar e sem formação divina ta mais perdido que sego em tiroteiro inclusive pode – se organizar cultos com areas especificas depende da quantidade de fieis, nas academias o mesmo exemplo é sabido que vc tem que praticar exercicios fisicos moderado porem se eu estabelecer 50 min para cada aluno e quantidade em uma area especifica eu ajudo a oxigenar o sangue e melhorar defesas naturais do organismo contra o corona virus, no salão pode se colocar uma folha de caderno com nome e telefone e fazer um agendamento para o profissional trabalhar com tranquilidade não desequilibrando seu orçamento e assim sucessivamente pois as pessoas ao ficarem em casa irão comprar produtos não perecivel e que emprega irmão pela internet o mais rapido possivel fazendo que toda regiaõ no brasil entre em colapso generalizado pois o funcionario desempregado vai em sua proporção pegar a resicão e vai comprar produtos piratiados e mais em conta que vai levar a uma queda brusca em grandes magazines na net ou seja efeito reflexo de um governo brigão entres azuis ou blue e os vermelho red em todo mundo mas aqui e mais acentuado o restaurante por exemplo pode colacar uma pessoa em cada mesa e tirar algumas mesas respeitando o espaço demacardo isso e honestidade não liberando tudo mas não parando o fluxo do comercio pois ate a area de educação com ingles e outros irão migrar para a nete porem em uma velocidade muito maior que a capacidade de resposta em cada local do brasil por isso insito em ajudar o povo de barra mansa e na saude abrir novos postos para enfrentar de verdade o corona como a utilização do hospital menino jesus de pragas no ano bom que tem leitos e infra estrutura pronto para atendender calamidade ou refelexo desta medida pois se as pessoas vão no mercado no açoque porque não no resto pois tudo funciona em conjunto nada separado pois a cidade é um corpo e nãpo orgãos descentralizados obrigado

  3. Concordo plenamente com a abertura do comércio. Como os comerciantes vão pagar seus funcionários, na Europa é frio. Uma pergunta que eu faço sempre para mim, porque que o carnaval não foi suspenso, já que já tinha a constatação da existência do Corona Vírus? Isto para mim é mais uma manobra que os que querem o fim do nosso país e depois culpar o nosso Presidente. Sou a favor sim da abertura do comércio. Tendo todos os cuidados necessários. Tem doenças que matam mais no nosso país que o Corona .

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !