Conscientização da violência contra os idosos é trabalhada nos Cras de Volta Redonda

0

VOLTA REDONDA

A Prefeitura de Volta Redonda, por meio da Secretaria Municipal de Ação Comunitária (Smac), lembra o mês da Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa, Junho Violeta, nos Centros de Referência da Assistência Social (Cras). O Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, ligado ao Departamento de Proteção Básica, vai propor, durante todo o mês, atividades ligadas ao tema para toda família assistida.

De acordo com a coordenadora do serviço, Gilmara da Costa Silva, os orientadores sociais e facilitadores de oficinas artísticas e culturais incentivaram a produção de cartazes, paródias na oficina de canto e encenações na oficina de teatro. “O objetivo é conscientizar as crianças e adolescentes, de forma lúdica, de que os idosos representam o futuro de todos nós e merecem o nosso respeito. Além disso, ajudamos as pessoas a identificar a situação de maus tratos e a importância de fazer a denúncia”, disse.

Dados do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, computados pelo Disque 100, que recebe, analisa e encaminha denúncias de violações de direitos humanos, mostram aumento da violência contra os idosos na pandemia da Covid-19. No primeiro semestre deste ano, foram registradas mais de 33,6 mil denúncias de violação de direitos dos idosos. Em 2020, foram 48,5 mil casos. Somente entre os meses de março e junho do ano passado, o número de denúncias foi quase 60% maior em relação ao mesmo período de 2019.

Necessidade da reestruturação do serviço de atendimento

O secretário de Ação Comunitária de Volta Redonda, Munir Francisco, afirma que esses números reforçam a necessidade da reestruturação do serviço de atendimento às famílias no nosso município. “Os equipamentos públicos de assistência devem estar abertos à comunidade para que profissionais possam trabalhar esta temática, e outras, em ações de prevenção das situações de vulnerabilidades e riscos sociais e de promoção e fortalecimentos dos laços familiares e comunitários”, falou.

Munir lembrou que, desde o início de 2021, a nova administração municipal já reabriu 21 unidades de Cras e pretende reabrir as 35 que funcionavam até 2016 até o final do ano. “Todas com equipe completa, composta por coordenador, funcionário administrativo, assistente social, psicólogo, orientador social e entrevistador social, e recebendo a população”, contou, lembrando que as atividades em grupo são realizadas de acordo com as normas sanitárias de prevenção à Covid-19.

 

 

error: Conteúdo protegido !