Câmara de Vereadores de Volta Redonda cria Comissão para apurar riscos do pátio de escória  

0

Com a finalidade de apurar os riscos de deslizamento da pilha gigante de escória, estocada a céu aberto no bairro Brasilândia, a Câmara de Vereadores de Volta Redonda, acaba de criar a Comissão Parlamentar Especial. Os trabalhos de averiguação devem ter inicio nos próximos dias com o vereador Rodrigo Furtado presidindo o grupo, Edson Quinto, como relator, e Jari, membro. Vale lembrar que a ação será realizada em paralelo à investigação, em sigilo, do Ministério Público Federal (MPF).

O presidente da Comissão informou que, fazer um levantamento criterioso de todas as informações é o primeiro passo a ser realizado pelo grupo de trabalho. Explicou ainda que esta primeira fase é essencial para direcionar os rumos que serão adotados e que o objetivo principal dos vereadores é trabalhar para que a população não seja prejudicada. “Essa é nossa maior preocupação. O meio ambiente deve ser preservado para as gerações futuras e, para que isso aconteça, a mudança de postura deve acontecer agora”, disse Furtado, lembrando ainda que a Comissão pretende apurar os possíveis responsáveis e impactos causados aos moradores do bairro e adjacências.

De acordo com Furtado, a situação deve ser apurada e que providências resolutivas devem ser cobradas dos responsáveis e envolvidos. Prometeu

continuar fiscalizando e trabalhando para que o pátio de escória desapareça da paisagem da cidade. Ressaltou que o lucro de empresas não pode sobrepor a saúde da população, já que centenas de pessoas já estão convivendo com as consequências negativas desta situação absurda que se arrasta durante anos.

Conforme dados, pelo menos 15 mil moradores sofrem com a poluição e com o risco de iminente de contaminação. Problemas respiratórios e alérgicos são comuns, principalmente entre pessoas residentes em bairros próximos à pilha de escória, como Santo Agostinho, Volta Grande, Caieira, entre outros.

 

 

error: Conteúdo protegido !