Após debate do autismo, vereador Uchôa inicia busca por soluções  

0

VOLTA REDONDA

Aconteceu no início do mês uma audiência pública que debateu o autismo na cidade, provocada pelo vereador Washington Uchôa (Republicanos). E, para fazer com que os questionamentos que foram levantados no encontro não sejam esquecidos e tenham andamento, o parlamentar tem buscado formas de ajudar a encontrar soluções para alguns pontos. Um deles foi um comprometimento do vereador em entregar uma carta solicitando que lojas, comércio em geral e transporte público incluam o símbolo do autista em suas placas de atendimento preferencial.

“Essa foi uma das reivindicações de mães e familiares de pessoas com TEA (Transtorno do Espectro Autista) e me comprometi em ajudar. Já entreguei o documento com a solicitação nos shoppings Park Sul e Sider, no Sicomércio (Sindicato do Comércio Varejista de Volta Redonda), na Aciap  de Volta Redonda, nas viações Elite e Agulhas Negras, e, na próxima semana, irei a CDL”, afirmou o vereador, ressaltando que todas as instituições se comprometerem em ajudar.

O vereador Uchôa também está visitando algumas instituições. Ele já se reuniu com representantes da Associação de Pais de Autistas e Deficientes Mentais de Volta Redonda (Apadem), entre elas a presidente Marcia das Candeias e a integrante da diretoria executiva da Apadem e presidente do Conselho Municipal de Defesa de Direitos da Pessoa com Deficiência (Compede), Elizabeth Melo. Por problemas pessoais, Marcia não pode estar na audiência, mas fez questão de se reunir com o vereador e passar para ele algumas situações, entre elas leis sobre autismo que precisam ter uma explicação melhor. “Nós da Apadem, falo por mim e pelas mães e responsáveis de autistas, ficamos imensamente felizes com o apoio do vereador em relação aos direitos da pessoa com transtorno do espectro autista. É muito importante sabermos que tem alguém lutando por nós”, disse Marcia. Segundo Uchôa, a Apadem pode contar com seu apoio.

O vereador ainda esteve com a coordenadora do Centro Especializado em Reabilitação (CER III), Pollyanna Mazilli. O local funciona no Estádio Raulino de Oliveira, no Jardim Paraíba, mas está prestes a ganhar um espaço novo. Washington foi conhecer um pouco mais sobre o trabalho desenvolvido no local e buscar informações sobre as novas instalações. Lá são atendidos cerca de seis mil pacientes por mês com deficiência física, visual ou intelectual como crianças e adolescentes com TEA. Segundo Pollyanna, Volta Redonda foi credenciada pelo programa federal para atender os 12 municípios do Médio Paraíba. A nova sede do CER III funcionará no Hospital Santa Margarida.

 

error: Conteúdo protegido !