Sucesso do passado, Feijão Porto Real será recriado na cidade

0

PORTO REAL

Muitas pessoas ainda se lembram do Feijão Porto Real, seja quem plantou ou quem consumiu. Começou a ser pesquisado em 1984, quando a cidade ainda fazia parte como distrito de Resende e foi um sucesso plantado até mesmo em outros estados do país. Existiu até 1996, um ano após Porto Real ter sido emancipada. Está previsto para ser colhido entre o final deste mês e o início de agosto um novo Feijão Porto Real, fruto de uma ação realizada pela Secretaria Municipal de Agricultura, Pesagro e Emater.

Segundo o secretário de Agricultura, Rodolpho Guimarães Salles, apesar da semente não ser produzida na cidade, como da outra vez, será uma ação muito importante. Foram plantadas diversas variedades de feijão, como se fosse uma vitrine tecnológica. “Naquela época havia o apoio da Pesagro, mas tinha uma empresa por trás de fabricação de sementes. Conseguiu-se tirar uma variedade de feijão e a Pesagro batizou como Porto Real. Era um feijão carioquinha muito consumido na cidade e região. Agora, a pedido dos produtores, estamos novamente com essa medida”, contou o secretário.

Os feijões estão plantados em um terreno da prefeitura, localizado na Rua Betina. As sementes foram plantadas em maio e a expectativa é que sejam colhidos entre final deste mês e início de agosto. “Após será analisado qual feijão se adaptou melhor no solo, por conta do clima, qual teve melhor crescimento, deu melhores e mais vagens, será escolhido o feijão que será batizado como Porto Real”, informou o secretário, completando que a semente originária do que foi produzido na cidade não existe mais, apenas combinações dela com outros tipos.

Foto: Divulgação

Foram plantados em Porto Real as sementes de BRS Esteio, BRS Esplendor, FP 403, Xodó, Pingo de Ouro (Vermelho), Coleta –ES – Vermelho, Coleta – ES – Carioca 01, Coleta – ES – Carioca -02, CNFP 16422 Precoce, Coleta – ES – Preto, Fradinho, IPR Tuiuiu.

DESTAQUES

O coordenador da Secretaria de Agricultura, Ariosto Roberto Pederassi, na época foi um das pessoas que participou do período de pesquisa e colheita do Feijão Porto Real. Ele lembra o destaque que o produto teve até em outros estados onde também foi plantado. Mesmo com a semente originária tendo se perdido, plantaram dessa vez como se fosse um neto do Feijão Porto Real. E a expectativa é boa. “Tem dois tipos que estão se destacando. Plantamos em uma época não ideal, mas está sendo muito bom porque é preciso a semente passar por frio, chuva, para criar resistência. Vou todos os dias lá e estou vendo a evolução de todos, especificamente de dois tipos”, contou.

Depois que o Feijão Porto Real parou de ser produzido na cidade, os produtores, hoje 80, utilizam sementes que são compradas de terceiro, de Minas Gerais.

O secretário Rodolpho informou que a prefeitura comprou neste ano mil quilos de sementes de feijão pra serem distribuídas entre os produtores, 600 quilos de feijão preto e 400 de carioquinha. O feijão é plantado uma vez ao ano. Em Porto Real há ainda o cultivo de berinjelas, inhame, mandioca, bananas, dentre outros. “Há uma cultura variada e também distribuímos mudas de hortaliças. Temos uma estufa e distribuímos mensalmente. De janeiro até maio foram distribuídas 20 mil mudas. No mês passado, foram três mil mudas. Os produtores vendem o resultado de sua plantação nos mercados e supermercado de Porto Real e Quatis. Eles ainda recebem mais ajuda da prefeitura, que são máquinas para arar terra, a preparação do solo”, informou.

PRÓXIMOS PLANOS

De acordo com Ariosto Pederassi, o próximo passo da secretaria é fazer o mesmo procedimento realizado com o feijão com o arroz. “Porto Real era o maior produtor de arroz da região no passado. Mas foram chegando as indústrias entrando nas áreas maiores. A ideia do arroz novamente é reativar o plantio. Vamos fazer testes com arroz integral e o preto. Uma estratégia porque esses tipos de arroz estão muito famosos no momento. Será a primeira cidade da região a ter plantação de arroz”, contou o coordenador da secretaria que foi produtor de arroz no passado.

Ele acredita, que com a volta do Feijão Porto Real e com o arroz, os produtores poderão expandir o mercado de venda. “Não produzíamos bananas e agora temos em alta escala, vendendo em Porto Real, Quatis, Barra Mansa e Volta Redonda. Temos ainda perspectiva de empacotar o Feijão Porto Real para vender ainda mais no comércio”, adiantou.

PRODUTORES DA CIDADE

Foto: Divulgação


Ariosto é um dos que vivia na época da plantação. E o feijão era um dos produtos que plantava. Agora, plantando com menos intensidade, vê com bons olhos esse incentivo. “Somos italianos e não perdemos as raízes. Antes eu vivia basicamente da agricultura, agora tenho um emprego, mas continuo. Embora na minha família apenas eu ainda plante, precisamos lutar para que as raízes não se percam em Porto Real. A Horta na Escola, realizada pela secretaria é um desses caminhos”, apontou.

Outro produtor também acredita que a retomada do Feijão Porto Real pode ser boa para a cidade e agricultores. Flávio Nascimento não era produtor na época, mas se lembra como foi importante para a cidade. “Planto tem três anos, sempre com recurso próprio, mas nesse ano usei as sementes doadas pela prefeitura e pretendo, se der tudo certo, usar no próximo ano a semente do novo Feijão Porto Real porque naquela época foi muito importante para a cidade”, contou. Ele frisou que ações como essa e outras que necessitam ser feitas, podem ajudar muito os agricultores da cidade.

Deixe um Comentário

error: Conteúdo protegido !