Sindicato conquista benefícios aos demitidos Arcelor Mittal

0

VOLTA REDONDA

Conforme o prometido, os representantes da empresa Arcelor Mittal estiveram, ontem no município, em reunião com a direção do Sindicato dos Metalúrgicos do Sul Fluminense e anunciaram alguns benefícios aos trabalhadores que foram dispensados, na última semana.

Entre os ganhos anunciados, de acordo com o presidente do sindicato, estão o compromisso da empresa em priorizar a contratação dos 85 demitidos, sendo 40 na unidade de Resende e os outros 40 na de Barra Mansa, assim que surgirem a necessidade, já que esses trabalhadores foram dispensados em virtude de uma exigência do Conselho Administrativo de Direito Econômico (CADE) para o encerramento de algumas linhas de produção, evitando assim o monopólio.

Silvio Campos falou também dos outros benefícios conquistados para os demitidos, como seis meses de cesta básica, dois meses de Plano de Saúde e o Seguro de Vida pelo período vigente do aviso prévio.  Silvio diz que  lamenta, mais uma vez, as demissões, principalmente, em um momento que todos estão enfrentando dificuldades, frutos da insegurança na polí­tica  econômica do país. Ao mesmo tempo, reafirma, ao lado de sua diretoria, o seu compromisso de acompanhar junto a empresa o cumprimento do acordo que dá a perspectiva de recontratação a esses trabalhadores metalúrgicos.

CONVOCANDO

E por falar em ganhos, Campos está convocando uma assembleia para esta quinta-feira. É que, segundo ele, o Sindicato irá colocar em votação, por escrutínio secreto, a proposta de pagamento da Participação nos Lucros ou Resultados (PLR) feita pela Companhia Siderúrgica Nacional (CSN). A votação vai acontecer entre às 6 horas e 18 horas, na Praça Juarez Antunes, no bairro Vila Santa Cecília. O sindicalista garantiu ainda que, a apuração vai acontecer logo depois do encerramento da votação.

Conforme o edital divulgado pelo Sindicato, se a proposta for recusada e a Companhia não reabrir as negociações uma greve pode ser decretada a partir de 48 horas, após notificação a empresa, comunicando da decisão da assembleia, segundo a Lei de Greve determina. A informação é de que a proposta da CSN é pagar de PLR o que correspondente a 0,92% do salário.

 

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !