Produtores rurais de Resende recebem por recuperação de mata ciliar

0

RESENDE

Os produtores rurais que estão participando do Programa de Pagamento por Serviços Ambientais (PSA Hídrico) receberam neste mês os recursos pelos trabalhos de recuperação de mata ciliar e nascentes. O pagamento é possível por meio de um convênio previsto em Lei Municipal feito entre a prefeitura a Agência da Bacia do Rio Paraíba do Sul (Agevap). O pagamento dos recursos foi realizado no gabinete do prefeito Diogo Balieiro Diniz (Democratas), localizado no Centro Administrativo do bairro Jardim Jalisco. Na oportunidade, cinco produtores que integram a iniciativa receberam os valores.

O projeto garantiu 70 hectares de terra beneficiados dentro das propriedades rurais, sendo 30 hectares de reflorestamento e 40 de restauração de nascentes.

De acordo com o convênio, a Agevap contratou a ONG Crescente Fértil, vencedora de um edital de licitação, para realizar os serviços de recuperação de nascentes e reflorestamento de matas ciliares na bacia do Rio Sesmaria. Os recursos que garantem o funcionamento do projeto chegam da cobrança pelo uso da água (royalties da água), através dos Comitês de Bacia como a Agevap. Desta forma, a Agevap disponibiliza os recursos, a “Crescente e Fértil” realiza os serviços de plantio e manutenção junto com os produtores e Agência de Meio Ambiente de Resende (Amar) fiscaliza, presta contas e faz o pagamento. “O pagamento aos produtores, é apenas uma forma de ajudar pelo importantíssimo trabalho realizado dentro das propriedades”, disse o prefeito.

EXPANSÃO NOS PLANOS

O presidente da Amar, Wilson Moura, a Prefeitura de Resende está buscando novas parcerias para implantar o PSA hídrico em outras regiões do município. “Esperamos, em breve, estender a iniciativa para os Distritos de Engenheiro Passos, Fumaça, Pedra Selada, Serrinha do Alambari e Visconde de Mauá”, disse Moura.

O projeto faz um trabalho de levantamento dos produtores, das áreas que serão recuperadas e define ações que serão tomadas para recuperação, como reflorestamento, enriquecimento do solo, plantio de mudas, entre outras medidas. “A crise hídrica é um assunto que está preocupando as cidades. Estamos tomando decisões de prevenção e proteção das nascentes. Vamos iniciar pelo Rio Sesmarias, mas queremos ampliar a parceria com produtores de outras regiões”, informou o secretário, acrescentando que para cada hectare de área recuperada, o produtor rural receberá o valor de R$ 200 anuais.

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !