Presidente da Comissão de Educação da Alerj ouve demandas das escolas da região

0

SUL FLUMINENSE

O deputado estadual Flávio Serafini (Psol) esteve em Resende e Volta Redonda nesta sexta-feira, 12, para cumprir agendas como presidente da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). As ações fazem parte da Comissão de Educação Itinerante. O deputado ouviu comunidades escolares acerca dos principais problemas que as unidades educacionais do estado estão enfrentando.

Foram elencados problemas desde infraestrutura, falta de profissionais até a implementação da reforma do Ensino Médio. Em entrevista ao A VOZ DA CIDADE, Serafini destacou que as demandas foram anotadas e fará pressão para solução das mesmas na Secretaria de Estado de Educação. Uma questão de destaque foi o repasse que a secretaria para aquisição da merenda escolar, uma reclamação tanto de diretores quanto de estudantes.

Em Resende, entre os encaminhamentos, foram indicadas: obra da quadra esportiva no Colégio Doutor João Maia, obras de acessibilidade no colégio estadual Olavo Bilac e obra de cobertura da quadra no Colégio Souza Dantas, entre outras.  Em Volta Redonda, foi destacado principalmente a falta de funcionários administrativos no Colégio Estadual Rio Grande do Norte, além da falta de porteiro e climatização no Instituto de Educação Professor Manoel Marinho, onde ocorreu a audiência.

Mas não só problemas foram relatados. O presidente da Comissão de Educação há três anos e meio e integrante há seis, apontou que em Resende viu a aproximação das escolas e a Uerj, onde projetos em conjuntos estão sendo realizados. “Me levou a pensar em propostas para desenvolver coisas semelhantes no Estado. Penso que por projeto de lei e a pactuação com as secretarias para desburocratizar os projetos nas escolas, que muitas vezes é um grande impedimento para projetos”, afirmou o deputado que está em seu segundo mandato e é pré-candidato à reeleição.

Questionado sobre a educação em todo o Estado, Serafini destacou que a situação com a pandemia de Covid-19 teve um impacto muito forte. “Além dos estudantes ficarem dois anos sem ter aula, na volta encontraram uma rede muito despreparada. Faltam cerca de seis mil professores, 15 mil turmas estão com falta de algum professor. Mais de 800 escolas das 1,2 mil não contam com uma equipe pedagógica completa”, denuncia o deputado estadual.

EM BARRA MANSA

À noite o deputado participou de uma agenda em Barra Mansa do Psol, com um debate com a participação da deputada federal Tarília Petrone, sobre a conjuntura política atual.