Pré-candidato a prefeito de Valença fala sobre dar rumo turístico ao município

0

VALENÇA

O pré-candidato a prefeito de Valença pelo PSB, Hélio Bilheri Pupuca, destacou que, caso eleito, terá como prioridade buscar um rumo econômico para o município. De acordo com ele, a cidade tem vocação para o turismo e isso é algo que o plano de governo visa estabelecer.  Ainda de acordo com Pupuca, Valença vem sendo governada há gerações pelas mesmas famílias, que traçam um jogo político, desfavorecendo a população em geral. Ele ainda pontuou alguns problemas que devem ser solucionados logo no início do governo que são: cancelar os serviços da Cedae e retirar o Centro Universitário de Valença (UniFAA) da administração da saúde municipal.

Hélio Bilheri, que é advogado e se especializou em gestão pública, participou na última eleição municipal, em 2016 como vice-prefeito e foi também candidato a deputado estadual em 2018. Segundo ele, sua trajetória política teve início no movimento estudantil, como aluno da UniFAA.  O plano de governo apresentado pelo pré-candidato tem como foco principal segmentar um rumo para a cidade, uma vez que os maiores setores de emprego de Valença é a prefeitura e a universidade.

“Valença é o segundo maior município do Rio de Janeiro em extensão territorial, ficando atrás apenas de Campos dos Goytacazes. Já foi a mais rica do país no ciclo do café e apesar de ter fazendas e lugares incríveis, não tem um rumo definido”, destacou, acrescentando que seu plano traça ações concretas para defender a ideia de direcionar o município para o segmento turístico, associado à cultura e ao turismo esportivo. “Conservatória, por exemplo, é um lugar incrível e pode ter mais inventivo, muita gente nem sabe que esse distrito pertence a Valença. Queremos mudar essa situação e uma ação que tomaremos é transferir a sede da Secretaria de Turismo e Cultura para o local, uma vez que é de lá que vem a maior demanda da pasta e isso facilitará muitos trabalhadores”, disse, apontando que a intenção é movimentar isso em um prazo de 24 meses.

Pupuca ainda informou que o setor de alojamento, abriga 371 empregos no município e a intenção é dobrar esses números em dois anos, com esse investimento no turismo. “Para isso também precisamos falar das creches funcionando aos fins de semana e vamos buscar meios de concretizar isso. Muitas mulheres trabalham no setor hoteleiro, para fazer com que essa empregabilidade se expanda, temos que oferecer meios para elas poderem trabalhar com tranquilidade, sabendo que seu filho está sendo bem cuidado”, afirmou.

O pré-candidato ainda citou que Valença faz divisa com dez municípios, sendo cinco no Estado do Rio de Janeiro e cinco em Minas Gerais. “Muitas pessoas saem para irem consumir em outras cidades pela facilidade no transporte intermunicipal, deixando de ir a região central da cidade, por conta do difícil acessos aos ônibus”, disse, acrescentando que essa é outra realidade que ele deseja mudar. “Outro víeis a ser explorado é a produção agrícola, que pode ser mais aproveitada. O café, por exemplo, pode ser uma marca da cidade, que movimentará também o turismo. Valença já foi a maior produtora de café do país e agora não produz quase nada. Essa história pode ser aproveitada, atraindo o turista para conhecer a história, a produção do café a nossa marca”, salientou Pupuca.

CEDAE E UNIFAA

Hélio ainda afirmou que, caso eleito, imediatamente retirará a Cedae do município e também citou os serviços de gerenciamento da saúde municipal feita pela UNIFAA.  “Nós não ficaremos com a Cedae. O motivo disso é porque o serviço oferecido a população é inadequado há muitos anos. A empresa entrou pela janela desastrosamente sem licitação, há uma decisão judicial que já mandou tirar a Cedae de Valença e por falta de vontade política ela ainda está lá. A qualidade da água é vergonhosa, com cor indescritível e com cheiro de cloro. Por este motivo iremos municipalizar o serviço e mais para frente podemos até procurar outra maneira, mas essa situação está desde 2008 e queremos resolver essa isso imediatamente, logo no primeiro mês de gestão”, afirmou.

Já sobre a UNIFAA, Pupuca explicou que a universidade, que foi criada com foco na educação, vem sendo usada há anos como uma espécie de ‘Organização Social’ (OS) no município. “Eles recebem a maior parcela do orçamento do município, que é a saúde, para fazerem essa gestão de uma forma totalmente confusa, oferecendo um serviço que não é bom para a população”, alertou, finalizando que a faculdade não foi criada com essa finalidade e que ela é um marco importante para o município e não pode ficar manchada. “A gente sabe das dificuldades reais desses processos e sabemos que é possível conquistar uma vitória, não vai ser fácil, mas na minha vida nada foi. Sempre batalhei e continuo me dedicando. A vitória é consequência, o que mais queremos é ouvir a população”, concluiu.

 

 

error: Conteúdo protegido !