Marcelo Bravo esclarece que não recebeu auxilio emergencial do governo

0

BARRA MANSA/MÉDIO PARAÍBA

O presidente da Fundação de Cultura de Barra Mansa, Marcelo Bravo, falou ao A VOZ DA CIDADE após ter sido divulgado nas redes sociais que ele receberia um auxílio emergencial do Governo do Estado que ajudaria os artistas sem renda na pandemia. Bravo declarou que o edital Cultura Presente nas Redes não seria um auxílio, mas sim um incentivo à cultura, que visa o desenvolvimento de projetos culturais, no qual os inscritos selecionados recebem R$ 2,5 mil para a execução do mesmo, que deve ser apresentado dentro de seis meses.

Bravo destacou ainda que a fake news impossibilitou em um primeiro momento a comemoração do destaque da região Médio Paraíba conseguir 120 inscritos no Edital, que disponibilizava 80 vagas. “Essa noticia mentirosa foi um desfavor ao setor cultural e prejudicou a divulgação de algo incrível em nossa região, com a participação de tantos agentes culturais”, destacou, acrescentando que o edital não é apenas para artistas, mas sim para qualquer agente da cultura.

De acordo com o Marcelo, ele e a secretária de Cultura de Volta Redonda, Aline Ribeiro, realizaram um mutirão para chamar os agentes culturais para participarem. “Fiz minha inscrição também porque pensei que a adesão do Médio Paraíba não seria tanta e minha intenção era expandir isso. O edital não foi elaborado de forma a destacar os impactos da pandemia no momento da inscrição. Os proponentes não precisavam informar absolutamente nada sobre seus projetos em curso”, explicou, acrescentando que cancelou sua participação no edital para dar vez ao próximo da fila.

EDITAL CULTURA PRESENTE NAS REDES

Segundo especifica a Secretaria de Estado de Cultura, através do site cultura.gov.br, foi lançado o edital ‘Cultura Presente nas Redes’ para fomentar propostas culturais que possam ser executadas e transmitidas via internet por artistas em todo território fluminense. Segundo esclarecido, o objetivo era selecionar 1.500 apresentações com premiação de R$ 2,5 mil com recursos do Fundo Estadual de Cultura.

“O objetivo da seleção é proporcionar realização de atividades culturais via internet, uma vez que em virtude da pandemia da Covid-19 não estão sendo permitidas apresentações culturais em casas de show, teatros e outros espaços”, destaca a descrição do edital, explicando também que poderiam se inscrever pessoas físicas e representantes de grupos ou coletivos, maiores de 18 anos, que desenvolvam projetos artísticos e culturais, domiciliados e com atuação comprovada no Estado a no mínimo um ano.

Segundo a secretária de Cultura de Volta Redonda, Aline Ribeiro, após ter ciência que 80 vagas seriam destinadas a região Médio Paraíba, Marcelo Bravo a procurou para iniciarem um movimento chamando os artistas. “Nós articulamos juntos porque Barra Mansa e Volta Redonda são muito próximas e os artistas estão entrelaçados entre elas. Buscamos autoridades de outros municípios para nos ajudar e conseguimos mais de 100 inscrições de toda região”, declarou.

Aline ainda explicou que esse movimento foi importante para mostrar ao estado o potencial artístico do Médio Paraíba. “Aqui temos artistas reconhecidos, muitos não estavam nem sabendo que isso estava acontecendo e nós buscamos direcioná-los”, disse, completando que houve um grande equívoco por parte das pessoas, que confundiram o edital com um programa emergencial do governo para pessoas em vulnerabilidade. “Tanto que a inscrição não exigia nem comprovação de renda, apenas o projeto que seria apresentado, e o currículo”, concluiu.

MARCELO BRAVO PARABENIZA PARTICIPANTES

“Ficamos muito felizes em ter colaborado diretamente para que nossa região tivesse mais inscrições do que vagas. Temos nossa consciência tranquila de que cumprimos nosso papel para a consolidação do Sistema Estadual de Cultura. Parabenizamos cada um que teve seu projeto aprovado”, destacou, acrescentando que a mesma atenção dada às inscrições será destinada para o acompanhamento dos projetos. “Em cada passo do edital como a abertura da conta, a aplicação das marcas, a publicação do projeto, até a prestação de contas. Nosso objetivo é garantir que todos utilizem os recursos com responsabilidade e evitem ficarem inadimplentes para poderem continuar participando de chamadas publicas como essa”, finalizou.

error: Conteúdo protegido !