Liberação de atividades do setor de eventos em Barra Mansa está próxima de acontecer

0

BARRA MANSA

A retomada gradual das atividades do setor de eventos em espaços particulares está próxima de acontecer. Na última sexta-feira, 18, foi realizada uma reunião  entre uma comitiva de empresárias que representam o setor, o procurador da prefeitura Cesar Catapreta e integrantes do Ministério Público. O encontro foi virtual. Segundo uma das representantes dos empresários, Thaís Gomes, a reunião foi produtiva e a previsão é que no mês de outubro os eventos, com restrições, possam ser realizados.

“Nesse momento é imprescindível que a população entenda que estamos propondo a retomada gradual e consciente das atividades, sem colocar em risco a vida das pessoas, priorizando saúde. Nesse primeiro momento não foi como tínhamos planejado, mas entendemos e respeitamos que precisamos começar de alguma forma”, disse Thaís.

Segundo ela, a previsão é que em dez dias o acordo esteja homologado na Justiça para dar início a primeira fase do protocolo. Nesse primeiro momento seriam sete dias de treinamento e capacitação para os locais e funcionários dentro do que será formalizado pelo município e Ministério Público. Após esse treinamento, ocorreriam 30 dias de permissão para eventos para depois uma nova etapa da flexibilização ser discutida.

Do protocolo feito por Thaís Gomes, o Ministério Público sugeriu algumas modificações que foram aceitas. Uma delas é proibindo menores de 12 anos de participarem de atividades nos espaços de evento. Inicialmente, a proibição era para menores de cinco anos. Pessoas do grupo de risco também não poderão frequentar os eventos nesse primeiro momento. Além disso, uma recomendação precisou ser alterada para obrigação. Todos os eventos terão que servir alimentos à francesa, ou seja, diretamente nas mesas. “Não poderá também ter música ao vivo, apenas som ambiente ou mecânico, sem estímulo a movimentação no local”, disse Thais Gomes.

Segundo ela, próximo dos 30 dias de eventos liberados, se reunirão novamente para discutir novos passos para a flexibilização. “O que o MP nos passou é que precisamos construir uma relação de confiança, fazendo tudo o que está dentro dos protocolos. Faltaríamos discutir na outra fase a retomada de festas infantis e de formaturas.  Além disso, as músicas ao vivo e a flexibilização sobre o público que poderá comparecer a esses eventos”, citou, frisando que o Ministério Público entendeu que sem aulas acontecendo as festas infantis também não podem ser realizadas.

De acordo com Thais, os prejuízos no setor de eventos serão sentidos mesmo no próximo ano, já que muitos eventos pagos foram remarcados para 2021, o que fará com que não tenham agenda para fazer novos negócios.

PROTOCOLO

O protocolo proposto pelos empresários de Barra Mansa é dividido em cinco fases. A partir da segunda fase será necessário ainda seguir as restrições e medidas como, quantidade de convidados reduzida, uso de equipamentos de proteção individual, medidas sanitárias, distanciamento e ações para que funcionários e clientes tenham acesso aos procedimentos de segurança do local para seguirem.

Nas próximas fases aconteceria a liberação dos eventos com maior flexibilização, aumentando o número de ocupações. Segundo o protocolo, a pandemia estando controlada, o setor operaria sem restrições e com prazo indeterminado, levando em consideração todos os pilares da Organização Mundial de Saúde (OMS).

 

 

error: Conteúdo protegido !