Deputado Nelson Gonçalves recebe “Moção de Congratulação” da Câmara de Vereadores de Quatis

0

 

Nelson Gonçalves que pré-candidato a deputado federal foi homenageado pela Câmara de Vereadores de Quatis com a “Moção de Congratulação”. A entrega foi feita no plenário do Legislativo, na quinta-feira, 26, em solenidade motivada por conta da Lei 7824/17, criando o Pólo Cultural, Histórico e Turístico de Ribeirão São Joaquim, e autoria do próprio Nelson Gonçalves.

Vale ressaltar que a lei estabelece uma série de medidas a serem tomadas visando o desenvolvimento turístico da localidade, bastante conhecida por freqüentadores do Eco Turismo e Turismo Rural. Uma delas é a autorização para realização de convênios entre o município, governo estadual e federal, buscando incentivos e projetos para o turismo de São Joaquim. A lei estabelece ainda a recuperação do patrimônio material, onde ainda existem diversos casarões datados do século XVIII.

Ribeirão de São Joaquim é o segundo distrito de Quatis, com cerca de 800 habitantes. O lugar teve seu auge durante o ciclo do café, no século XIX, onde os casarões ostentavam a beleza do local. Na ocasião, a movimentação em São Joaquim era tanta que a localidade abrigou um cassino. Atualmente, o distrito conta com a Capela de Nossa Senhora do Rosário, casarões, igrejas e se torna ainda mais atrativa devido ao clima ameno, matas e cachoeiras.

LOCALIDADES DESCONHECIDAS

Segundo Nelson Gonçalves, a região tem localidades maravilhosas e desconhecidas que precisam ser preservadas para manter viva a sua história. Ele citou os casarões do século XVIII que ainda sobrevivem ao desgaste do tempo. Disse ainda que a lei também é bem vinda entre os moradores que acreditam no potencial da localidade e estão abertos às inovações e o desenvolvimento do turismo.

Uma delas é a professora Eliana Vieira da Fonseca, de 55 anos, que defende a preservação da história de São Joaquim, além da divulgação das riquezas naturais da localidade. Disse que a localidade tem três cachoeiras lindíssimas e não é justo manter escondida essa beleza natural, que associada às construções antigas se tornam um passeio cultural extremamente agradável às famílias. O administrador de empresas e produtor rural Darcio Alves, é um dos mais empolgados com a implantação da lei que, na opinião dele, se torna imprescindível para a implantação de medidas para transformar São Joaquim em uma Estância Cultural. “Temos um clima maravilhoso, uma população hospedeira, sem contar com as matas e cachoeiras ideais para o eco turismo”, disse.

 

 

 

error: Conteúdo protegido !