Covid-19: Volta Redonda inicia vacinação em crianças de 11 anos sem comorbidades nesta quinta-feira

0

VOLTA REDONDA

A Prefeitura de Volta Redonda, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), amplia a vacinação infantil contra a Covid-19. Nesta quinta-feira, dia 20, crianças de 11 anos sem comorbidades poderão receber o imunizante. As doses pediátricas estão sendo aplicadas das 9h às 16h, nas escolas: Delce Horta Delgado, no Aterrado e João XXIII, no Retiro.

Os menores precisar estar acompanhados dos pais ou responsáveis legais para poder receber a vacina. É necessário apresentar: caderneta de vacinação, CPF ou cartão do SUS da criança.

A ampliação da vacinação em crianças foi possível após a entrega da segunda remessa. O usado na imunização infantil é o da farmacêutica Pfizer. O município recebeu do Governo Federal 1.360 das vacinas pediátricas. O Ministério da Saúde recomenda que a segunda dose seja ministrada no intervalo de até oito semanas.

Crianças com comorbidades e deficiência permanente, de 5 a 11 anos, têm prioridade no atendimento e continuarão sendo vacinadas. Os pais devem incluir na documentação o laudo ou a receita médica que comprove a condição clínica.

Segundo o coordenador da Vigilância em Saúde de Volta Redonda, o médico sanitarista Carlos Vasconcellos, na medida em que o município for recebendo novas doses, a vacinação será estendida a outras faixas etárias.

“A prefeitura depende da entrega de novas doses para estender a vacinação a outras faixas etárias. Com isso, os postos de imunização exclusivos para esse público também serão ampliados”, explicou.

 Locais de atendimento

A estratégia adotada pela Secretaria de Saúde em realizar a vacinação infantil em unidades escolares é para oferecer toda a segurança às crianças. O coordenador municipal da Vigilância em Saúde ressaltou que a vacinação está ocorrendo de forma tranquila e destacou que nenhuma criança, até o momento, apresentou reações adversas.

“Nós temos observado que a vacinação tem fluído de forma tranquila, não identificando eventos adversos. É muito importante que a gente possa realizar essa vacinação, na medida da disponibilidade das doses, para que no início das aulas tenhamos um número grande de crianças vacinadas”, destacou o coordenador.