Barreiras são reiniciadas nas entradas de Volta Redonda

0

VOLTA REDONDA

Foram montadas hoje, 15, as barreiras nas entradas de Volta Redonda, em atendimento ao decreto assinado pelo prefeito Samuca Silva na última segunda-feira, 14, que prevê novas medidas de combate à Covid-19, devido ao aumento do número de casos. Dentre as medidas, está a proibição da entrada de pessoas de outras cidades das 10 às 18 horas, que não  trabalhem no município. As barreiras estarão em vigor até o dia 26 de dezembro. Prefeituras de algumas cidades da região foram procuradas, mas nenhuma, até a publicação dessa matéria, se posicionou informando, nesse primeiro momento, que adotará novas medidas contra a propagação do vírus.

As barreiras estão localizadas na 207, Vila Elmira, Ponte Alta, São Luiz e Avenida dos Metalúrgicos.

Moradores ouvidos pelo A VOZ DA CIDADE aprovaram a retomada das barreiras. Nilson de Carvalho, de 35 anos, mora na cidade e contou que apesar de adorar sair à noite e de não concordar totalmente no começo, entendeu que a medida foi necessária. “Eu que frequento muito a noite, percebi que os bares estavam todos lotados. As pessoas realmente estavam abusando, então achei viável essa atitude. Às vezes precisamos agir com mais firmeza para as pessoas respeitarem”, disse, se referindo ao fato de outro ponto do decreto do prefeito determinar funcionamento até às 20 horas de bares e restaurantes, podendo funcionar o delivery.

Celina Malta é proprietária de um restaurante em uma das principais vias de comercialização de Volta Redonda e, de acordo com ela, a determinação foi necessária, porém, acredita que medidas mais rígidas, como fechar o comércio (decisão do início da pandemia), poderiam prejudicar demais os comerciantes. “Eu acho que está certíssimo, as pessoas estavam abusando. Porém, se precisarmos tomar medidas drásticas novamente, como trabalhar só através da entrega de marmitex, isso irá me afetar 50% ou mais. Estamos trabalhando seguindo todas as medidas, distanciamento, álcool gel e aferindo a temperatura. As medidas são necessárias, mas se mandar fechar o comércio, ai morremos por outros problemas. Se fechar, me quebra, assim como outros comerciantes”, pontuou, acrescentando que com a determinação de fechar o comércio, no início de pandemia, o prejuízo foi incalculável e o aluguel do empreendimento precisou ser dividido em duas parcelas.

SOBRE O DECRETO

Dentre a proibição do decreto está permanência ou transição de pessoas nas ruas entre meia noite e 5 horas.  Além disso, está proibido ainda o consumo e comércio de bebidas alcoólicas em vias e espaços públicos; a utilização de música como entretenimento de forma mecânica com DJ ou música ao vivo, em bares, restaurantes e similares; a utilização de mesas e cadeiras em calçadas, bem como permanência de clientes nas calçadas, inerentes a bares, restaurantes, centros gastronômicos etc.

Os bares, restaurantes e congêneres ficam autorizados a funcionar de portas abertas até as 20 horas, sendo permitido após este horário o funcionamento somente nas modalidades drive-thru e delivery. Os idosos deverão ser atendidos exclusivamente até às 11 horas nos estabelecimentos comerciais e, esta medida valerá para todos os dias da semana.

Ficou determinado também que, todos os estabelecimentos, tais como templos religiosos, academias, bares, restaurantes, terão que fixar um cartaz com as orientações do protocolo de tratamento da nitazoxanida firmado entre a prefeitura e Universidade Federal Fluminense (UFRJ) contra o coronavírus.

NOVO DECRETO EM PORTO REAL

O prefeito Ailton Marques de Porto Real, também decretou novas medidas de restrição às aglomerações no município. O Decreto 2543/2020, que já entrou em vigor na noite da última sexta-feira, dia 11, determina que os bares, lanchonetes e restaurantes só poderão funcionar até as 18 horas com 30% da capacidade de ocupação. Após este horário, os estabelecimentos comerciais só poderão funcionar apenas no modo delivery. O documento também prevê a proibição da entrada de menores de 12 anos em supermercados, mercados e vendas, assim como o consumo de comida ou bebida dentro dos estabelecimentos comerciais.

O A VOZ DA CIDADE entrou em contato com as prefeituras de Itatiaia, Resende e Barra Mansa. Barra Mansa, através da assessoria de imprensa, citou que é fake news a informação de que o comércio da cidade fecharia a partir do dia 23 deste mês. “O Executivo ainda reforça que o decreto de orientação sobre as medidas de prevenção como o uso de máscaras e distribuição de álcool gel nas lojas continua, porém não há uma determinação de fechamento do comércio ou de medidas mais restritivas”, diz a nota enviada.

Também em nota, a Prefeitura de Resende, disse que o enfrentamento da pandemia é avaliado diariamente e continua com a campanha de conscientização para que as pessoas usem máscaras, higienizem as mãos com frequência e evitem aglomerações. “Esse trabalho vai continuar até que haja uma vacina. As fiscalizações nos estabelecimentos comerciais, para que sigam as medidas de combate à doença, continuam. Já a taxa de ocupação / CTI está abaixo de 50% e possuem a possibilidade de expansão. Por esses motivos, ainda não há a necessidade de adotar novas medidas restritivas. Mas a Prefeitura ressalva que as decisões são avaliadas diariamente e podem ser revistas a qualquer momento”, diz a nota.

Itatiaia disse que não tem expectativa no momento de novos decretos.

error: Conteúdo protegido !