Vereador de Volta Redonda quer placa de ‘proibido’ estacionar para o portão do Semeia

0

VOLTA REDONDA

Procurado esta semana pela mãe de um autista que estuda no Sítio Escola Municipal Espaço Integrado do Autista Thereza Chicarino (Semeia), em Volta Redonda, o vereador Pastor Washington Uchôa solicita placa de ‘proibido’ estacionar  no portão da instituição. É que segundo a mãe do aluno, os motoristas estavam estacionando seus carros irregularmente em frente ao portão do Semeia, dificultando a entrada do ônibus escolar e até de caminhões de entrega, prejudicando o dia a dia dos alunos e familiares.

De acordo com a diretora da escola, Lúcia Cruz, o fato de não ter uma placa de ‘proibido estacionar’ no local, facilitava a imprudência dos motoristas. “Era um problema que nos causava grande preocupação por colocar em risco a segurança dos nossos alunos. Chegamos a colar um aviso no portão da escola, mas, mesmo assim os motoristas não respeitavam”, informou, ressaltando que o fluxo de veículos próximo à escola, localizada no bairro São Luiz, é grande por conta do posto de saúde que fica bem ao lado.

Uchôa disse que esteve na escola para verificar a situação e prontamente o secretário municipal de Transporte e Mobilidade Urbana, Maurício Batista, prontificou-se em ajudar. “Estive no Semeia com o diretor de Mobilidade Urbana da STMU, Igor Azevedo, que no mesmo dia solicitou a colocação da placa de proibido estacionar, que já está no portão da escola. Sabemos que esses alunos precisam de uma atenção maior e, por isso, prontifiquei-me em achar uma solução rápida para o problema”, contou o vereador, que é relator da Comissão Permanente de Defesa dos Direitos das Pessoas com Necessidades Especiais e do Idoso na Câmara Municipal.

CER III

Nesta semana o vereador ainda esteve conversando com a coordenadora do Centro Especializado em Reabilitação (CER III), Pollyanna Mazilli, que funciona no Estádio Raulino de Oliveira, no Jardim Paraíba, mas está prestes a ganhar um espaço novo. Washington foi conhecer um pouco mais sobre o trabalho desenvolvido no local e buscar informações sobre as novas instalações.

O CER III atende cerca de seis mil pacientes por mês com deficiência física, visual ou intelectual como crianças e adolescentes com Transtorno do Espectro Autista (TEA). Segundo Pollyanna, Volta Redonda foi credenciada pelo programa federal para atender os 12 municípios do Médio Paraíba. “Graças a Deus o prefeito Samuca Silva nos apoia em tudo que precisamos. Estamos ansiosos para nos mudarmos para as novas dependências, que facilitará muito termos um trabalho multidisciplinar mais interligado”, afirmou, ressaltando que a nova sede do CER III funcionará no Hospital Santa Margarida.

 

 

 

 

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !