Pré-candidato a prefeito Bisol solicita investigação do MPRJ sobre concurso público realizado na gestão de Dudu

0

ITATIAIA

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) será acionado pelo pré-candidato a prefeito de Itatiaia, Adalberto Bisol (PDT), que pede investigação e intervenção sobre um ato administrativo considerado por ele suspeito. Ele se refere ao concurso público realizado em 2020 pelo governo do ex-prefeito Eduardo Guedes. Bisol é enfático ao afirmar que novos cargos e salários foram acrescidos ao edital e nesses cargos foram aprovados parentes e amigos do então prefeito.  “A Câmara de vereadores autorizou novos cargos com salários, mas aquele certame está sob suspeita. Não podemos aceitar isso normalmente”, disse.

A afirmação foi dita durante a II Marca Virtual Contra a Corrupção que aconteceu na noite do dia 17. Participou do evento o ex-deputado Miro Teixeira, parlamentar por oito mandatos consecutivos pelo PDT e que já foi ministro. Miro ressaltou ainda que as Instituições estão cumprindo o seu papel na cidade. “Em muitos casos, nós sabemos quem rouba, quanto rouba e como rouba, mas não se pode fazer nada. Aqui as eleições foram canceladas, então, alguma denúncia e fiscalização surtiu efeito. E, neste cenário, Bisol tem o dever de ser candidato a colocar a educação em pauta”, afirmou Teixeira.

Bisol está também debatendo a instalação de uma Universidade Pública no Parque Nacional de Itatiaia. Miro Teixeira se comprometeu a conversar com o reitor da Universidade Federal Fluminense a respeito.

A marcha virtual contou com a participação de moradores e lideranças da cidade. A presença foi agradecida pelo pré-candidato que falou ainda do lançamento nessa semana do Plano de Governo Participativo para Itatiaia.

A terceira edição da Marcha Virtual Contra a Corrupção em Itatiaia será no dia 24 de junho, a partir das 19 horas, nas redes sociais do pré-candidato.

EX-PREFEITO PROCURADO

O ex-prefeito Eduardo Guedes foi procurado pelo A VOZ DA CIDADE para responder as acusações do pré-candidato sobre a realização do concurso público no ano passado. Em resposta, ele disse que não teve parente que fez concurso. “Não vejo problema dos meus atos como prefeito serem investigados pelo MP, muito pelo contrário. Demos todas as informações quando solicitados e, portanto, isso que o pré-candidato disse não condiz com a realidade, mas de fato o papel do Ministério Púbico é apurar as condutas dos gestores e quando questionados sempre demos todas as informações”, concluiu.

Dudu foi eleito prefeito nas eleições do ano passado, mas teve sua candidatura indeferida pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pelo entendimento que entraria em seus terceiro mandato consecutivo. Em seu lugar, em janeiro, assumiu Imberê Moreira, presidente da câmara, que foi afastado do cargo por suspeita de improbidade. Agora, responde interinamente pela prefeitura o também vereador Vaninho Rodrigues.

error: Conteúdo protegido !