Paulinho do Raio-X comparece a depoimento de comissão, mas se reserva ao direito de permanecer calado

0

VOLTA REDONDA

Aconteceu hoje, 10, o depoimento do vereador afastado Paulinho do Raio-X dentro da Comissão Processante da Câmara Municipal instituída para analisar pedido de cassação do parlamentar. A comissão foi formada após denúncia do que aconteceu no mês de março quando o vereador foi detido em flagrante quando estaria recebendo dinheiro do prefeito Samuca Silva. Ele foi preso, mas liberado dois dias depois. Paulinho foi acusado de corrupção passiva, resistência, ameaça e adulteração de sinal de identificador de veículo. O seu caso ainda está na Justiça, mas desde então ele está afastado da câmara, sem perda dos seus direitos.

Segundo o presidente da comissão, vereador Sidney Dinho, o encontro aconteceu na sala de reuniões da Câmara de Dirigentes Lojistas, acompanhado de seu advogado de defesa Carlos Roberto Bento. Mesmo indo ao depoimento, Paulinho disse que se reservaria ao direito de permanecer calado. “Ele disse que nao declararia e nem responderia qualquer questionamento da Comissão, conforme já conversado com sua defesa. Encerrei a audiência e já abri vistas dos autos para que a defesa possa apresentar suas razões finais e escritas”, disse Dinho.

Agora, a comissão trabalhará para o parecer final pela procedência ou improcedência da acusação e solicitará ao presidente da Câmara a convocação de sessão para julgamento em cumprimento ao que prevê o artigo 5°, inciso V, do Decreto Lei 201/67.

SUPOSTA CORRUPÇÃO PASSIVA

A prisão de Paulinho do Raio-X aconteceu no dia 7 de março e foi em flagrante, quando estaria recebendo dinheiro do prefeito Samuca Silva numa sala na Vila Santa Cecília. Ele foi acusado de corrupção passiva, resistência, ameaça e adulteração de sinal identificador de veículo. Foram várias conversas com o prefeito e o processo tramita sob segredo de justiça. Paulinho deixou a prisão no dia 9, após habeas corpus cuja uma das restrições seria o afastamento do Legislativo sem perda de salário.
Paulinho teria, segundo denúncia, solicitado dinheiro do prefeito para que não fizesse algumas ações contra ele, incluindo novos pedidos de impeachment. Seriam R$ 40 mil na mão e mais R$ 25 mil até o mês de dezembro deste ano.

error: Conteúdo protegido !