Delegado pede prisão temporária de suspeito de matar e queimar idoso em Rio Claro

0

RIO CLARO

O delegado titular da 168ª Delegacia de Polícia de Rio Claro, Michel Floroschk, informou no início da tarde de hoje ao A VOZ DA CIDADE que já está com mandado de prisão contra Gilliar Eloi Pascoal, suspeito de Homicídio Doloso Qualificado. Ele é o principal indiciado de matar Antônio Carlos de Souza, de 62 anos, na madrugada da última segunda-feira, em uma pizzaria na Rua Alexandre Elias, no Centro. Segundo relatos da família da vítima, os dois mantinham um relacionamento.

O corpo do idoso foi encontrado carbonizado dentro de seu comércio e a Polícia Civil investigava se ele havia sido assassinado antes do incêndio.  “As primeiras investigações dão conta de que a vítima, após encerrar os trabalhos de sua pizzaria, permitiu que o investigado entrasse em sua casa, situada na parte de cima de seu comércio, local onde foi morto”, disse o delegado. “Os depoimentos de parentes da vítima dão conta de que ele era homossexual e mantinha um relacionamento com o suposto autor, Gilliar”, completou o policial.

Segundo o delegado, diversas diligências foram encetadas para a prisão em flagrante, inclusive na cidade de Angra dos Reis, já que as imagens das câmeras próximas a casa da vítima, mostram o suposto autor entrando na casa da Antonio, bem como saindo com objetos nas mãos após três horas, quando então se verifica o incêndio.

“Além disso, foi apreendido um pedaço de madeira utilizado pelo autor dos fatos na empreitada criminosa, que foi utilizado para golpear a vítima”, contou o delegado.

Ele explica que a detenção cautelar visa esclarecer qual a motivação do delito, bem como todas as suas circunstâncias. “Além disso, somente com a prisão temporária poderemos colher o depoimento do suposto autor, bem como realizarmos a reprodução simulada do delito, além de outras diligências indispensável para a futura propositura de ação penal”, concluiu o delegado Michel Floroschk.