Compod alerta sobre aumento de consumo de álcool por adolescentes em Barra Mansa

1

BARRA MANSA
A Coordenadoria Municipal de Políticas Sobre Drogas (Compod) vem alertando os estabelecimentos comerciais sobre o cuidado para não vender bebidas alcoólicas para adolescentes.
Segundo o coordenador do Compod, César Thomé, o consumo precoce e excessivo de bebidas alcoólicas vem aumentando em Barra Mansa. Ele ainda afirma que a situação é preocupante e deve ser prevenida, já que esse fato colabora para outros problemas como baixo rendimento escolar, acidentes, violências e outros comportamentos de risco como tabagismo e uso de drogas ilícitas.
De acordo com o coordenador, as reclamações de adolescentes consumindo bebidas alcoólicas no município, aumentaram em cerca de 40%. “Muitos pais estão procurando o órgão buscando ajuda para retirar os filhos das bebidas”, relatou, completando que, com isso, observou a necessidade de uma conscientização. “Precisamos divulgar mais sobre o assunto, porque é preocupante. Auxiliar tantos os pais em como ajudar, como também auxiliar os estabelecimentos”, afirmou.
Ele ainda alertou que o assunto é de extrema importância, pois o álcool, além de ser porta de entrada para outras drogas, o consumo precoce pode influenciar os jovens ao alcoolismo. “Alguns adolescentes têm predisposição para serem compulsivos, e quando mais jovem começa, isso tem mais probabilidade de acontecer”, disse, completando que o adolescente costuma tomar bebidas mais fortes como a vodca, tequila e até mesmo whisky. “E essas bebidas são bem mais perigosas, e tem um estrago maior no cérebro do jovem, pois ele ainda não está totalmente formado”, disse.
O coordenador do Compod ainda contou que realizou uma parceria fora do município, em Minas Gerais, onde adolescentes que sofrem dependências de álcool e outras drogas, poderão ser internado de forma consentida, onde receberão o auxílio necessário para o tratamento. “Mas a pessoa tem que querer mudar de vida. Aqui em Barra Mansa temos também o Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil (Capsi) que dá o auxílio psicológico”, relatou, lamentando que o jovem costuma achar que tem tudo sob controle. “Muitas vezes o menor de idade é imprudente e acha que não precisa de ajuda, que tudo se resolverá sozinho e isso é perigoso”, ratificou.
O Compod funciona no Parque da Cidade Natanael Geremias, de segunda sexta-feira, de 8 às 17 horas.

VENDER BEBIDA PARA MENOR É CRIME

A Lei 6153/12 dispõe sobre a proibição de venda, oferta, fornecimento, entrega e permissão de consumo de bebida alcoólica aos menores de 18 anos, no âmbito do Estado do Rio de Janeiro. São obrigações dos empresários e responsáveis de estabelecimentos comerciais colocar avisos de proibição da venda para esse público, e além disso, zelar para que nas dependências do estabelecimento comercial, não se tenha esse público consumindo álcool.
Além da lei que pune, para César, o objetivo do Compod é investir em prevenção. Segundo ele, o melhor caminho é o diálogo. “Os pais têm que ser presente e ter um bom convívio com o filho. Explicar para ele de forma clara, quais são as consequências e o que isso pode acarretar na vida desse jovem” disse ele, finalizando que, não há caminho melhor do que o diálogo.

1 comentário

  1. César meu chegado. Que bom ver vc a frente de um trabalho desses. Parabéns. Olha, pelo que tenho visto por aí, tá longe de combater esses jovens. Sugiro que combatem principalmente os estabelecimentos comerciais e principalmente os supermercados. Qualquer já vem de 14 anos compra bebidas alcoólica nos supermercados da cidade. Os chamados tribo do isoporzinho. E fácil de se ver principalmente nos fins de semanas. Então não tem como parar com essas barbáries. Tolerância zero

Deixe um Comentário

error: Conteúdo protegido !