Comitiva do governo federal traça diagnóstico do turismo em Angra

0

ANGRA DOS REIS

Uma comitiva de representantes do governo federal esteve em Angra dos Reis nesta semana para avaliar as potencialidades turísticas locais e coletar informações para o desenvolvimento de projetos. A ação é continuidade da visita anterior dos representantes do ministério a Angra, em agosto. Naquela ocasião, eles iniciaram um plano de ação para o desenvolvimento do turismo no município. Um esforço conjunto entre os governos federal, estadual e municipal. A iniciativa faz parte do empenho do governo federal em transformar Angra dos Reis em um forte destino indutor do turismo mundial. “Quando o presidente fala que quer transformar Angra dos Reis em uma Cancun, ele está falando, simbolicamente, em desenvolvimento. Ele fala em geração de emprego, renda, ordenamento, organização. É isso que queremos aqui”, disse o prefeito de Angra, Fernando Jordão.

O grupo chegou em Angra no dia 19, formado pelo professor da Universidade Federal do Pará e consultor do Projeto Orla, Eduardo Brandão; o economista da Secretaria de Patrimônio da União (SPU), Reinaldo Redorat; e o técnico do ministério do Turismo, Francisco Chaves.

No primeiro dia de visitas técnicas, eles foram acompanhados por representantes do governo municipal. Após uma breve reunião na Turisangra, na quarta-feira, o grupo visitou diversas praias e pontos turísticos, concentrando-se na área central do município. O objetivo foi fazer um diagnóstico do território, dos recursos, entraves e possíveis soluções.

A proposta é que no início do ano que vem o mesmo grupo retorne a Angra para que seja feita uma oficina, junto com a sociedade civil, para a implementação de projetos. “A proposta do Projeto Orla é descentralizar. Ouvir o que os municípios querem fazer e como querem gerir sua área litorânea. São os municípios que sabem a melhor utilização de seus espaços, e nós somos os facilitadores. É a premissa “mais Brasil, menos Brasília”, explicou Reinaldo Redorat.

A comitiva iniciou a vistoria pelo Cais de Santa Luzia e Cais dos Pescadores, onde identificou a necessidade de um melhor ordenamento que separe as áreas de pesca, de turismo e de embarque e desembarque de resíduos sólidos. De lá, os técnicos passaram pela Praia do Anil e Praia da Chácara, onde conheceram a estação de tratamento local. Seguiram para o Shopping Piratas e visitaram a marina.

Em seguida circularam pelo Cais da Lapa e o São Bento, onde foi discutida a viabilidade de investimentos para a construção da Marina São Bento e o aproveitamento do espaço do porto. Passaram pela Costeirinha, Praia do Bonfim e Praia das Gordas, onde a proposta é a construção de um mirante. Na Praia Grande há um projeto de urbanização do acesso à faixa de areia, incluindo melhor acessibilidade para cadeirantes.

Após percorrer toda a Estrada do Contorno, avaliando, dentre outras questões, diversos píeres que precisam de readequação, a comitiva seguiu para a Monsuaba, percorrendo o corredor turístico local. Os representantes do governo federal e da prefeitura discutiram propostas de revitalização do mirante da Ponta Leste e do monumento ao Aquidabã.

Já no final da tarde, o grupo visitou o bairro de Jacuecanga, onde conheceu o projeto de criação do Parque Urbano de Jacuecanga, uma área de 580 mil metros quadrados com arborismo, observatório de pássaros, museu, restaurante e outras atrações. Foram discutidas possíveis parcerias para a viabilização.

Na quinta-feira, 21, houve uma reunião na sede do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) em que os representantes do governo federal obtiveram informações sobre redes de esgoto e captação e tratamento de água em Angra, com foco na Ilha Grande. O secretário-executivo da Ilha Grande, Carlos Kazuo, também participou. O grupo recebeu do presidente do Saae cópias do Plano de Saneamento de Água e Esgoto de Angra dos Reis e irá estudar possibilidades de investimentos e projetos no setor levando em conta a projeção de crescimento da visitação turística e da população nos próximos anos. Dentre os projetos, uma das propostas do Saae é a construção de uma usina de dessalinização em Angra, um projeto grandioso que depende do governo federal.

À tarde, foi feita uma reunião com o prefeito de Angra e secretários na qual os representantes do governo federal apresentaram em detalhes o Projeto Orla, que contempla ilhas costeiras e oceânicas, praias e calçadões. Por meio do projeto a União transfere aos municípios a gestão de orlas e praias marítimas, estuarinas, lacustres e fluviais, auxiliando e orientando os municípios quanto a essa responsabilidade. Nesta sexta-feira , o grupo fez um sobrevoo na Baía da Ilha Grande, para mapear o território e conhecer melhor as ilhas.

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !