Anuário do Petróleo no Rio aponta novos investimentos no estado

0

ESTADO

O Anuário do Petróleo no Rio 2020, estudo da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), aponta 200 novos poços em áreas licitadas a partir de 2017 em águas fluminenses; investimentos de cerca de R$ 2 bilhões no segmento de abastecimento até 2024; e arrecadação de R$ 300 milhões em Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) por cada sistema que entrar em produção a partir da internalização do Repetro Industrialização. O documento foi lançado na terça-feira, dia 22, em evento on-line com a participação de representantes dos governos federal, estadual e organizações do mercado.

Durante o lançamento do Anuário, o presidente da Firjan, Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira, reafirmou a resiliência do mercado de petróleo no país e no mundo, devido aos preços baixos por conta da pandemia. Ele destacou as oportunidades que essa indústria traz para o Rio de Janeiro a partir das grandes reservas de óleo em águas fluminenses, assim como a revitalização dos campos maduros na bacia de Campos, permitindo a entrada de novos operadores. “Esse é um mercado que vive ciclos mais curtos, exigindo respostas mais rápidas. O Anuário traz informações que auxiliam o mercado a enfrentar os novos desafios”, afirmou Eduardo Eugenio.

Produzido pela gerência de Petróleo, Gás e Naval da federação, o Anuário este ano traz uma novidade. Seguindo a tendência de instituições e grandes empresas do mercado, a partir de agora, na página de petróleo do site da Firjan está disponível a plataforma “Dados Dinâmicos”, com informações e tabelas on-line sobre o mercado de óleo do Rio de Janeiro e do país.

De fácil navegação, a plataforma será atualizada periodicamente com dados como a matriz energética mundial e cotação internacional do barril; dados de Exploração e Produção nacional, com o histórico de perfuração por estado e por bacia no país; Abastecimento, com produção e venda por tipo de produto, preço dos combustíveis; e dados sobre Reflexos Socioeconômicos, com participações governamentais, mercado de trabalho e arrecadação de ICMS do segmento de petróleo no Rio de Janeiro.

A gerente de Petróleo, Gás e Naval da Firjan, Karine Fragoso, ressalta que o Anuário de Petróleo é uma entrega da federação para todos aqueles que querem trabalhar o mercado de óleo. “Uma ferramenta de consulta, rica em dados e, nessa versão, com dados dinâmicos, que serão atualizados periodicamente à medida que sejam liberados pelas fontes primárias. Uma base para inteligência de mercado, possibilitando construção de cenários distintos e segmentados para apoio a tomada de decisão. Além disso, referência para projeção de recursos para PD&I e arrecadação de receita pelo estado”, ressalta.

De acordo com o anuário, cresceu a produção de óleo no Rio de janeiro, alcançando a marca de 81% da produção nacional em julho de 2020. Além disso, em 2019 o estado atingiu o índice de 45% dos empregos na cadeia fornecedora de petróleo; e entre 2019-2020 o parque de refino fluminense ficou em 70%.

Além de Eduardo Eugenio e Karine Fragoso, participaram do lançamento on-line do Anuário, Philippe Blanchard, presidente do Conselho Petróleo, Gás e Naval da federação e presidente na Total E&P do Brasil; José Mauro Ferreira Coelho, secretário de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do Ministério de Minas e Energia; Clarissa Lins, presidente do IBP; Raphael Moura, diretor geral interino da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP); Claudia Rabello, subsecretária de Óleo, Gás e Energia do Estado do Rio de Janeiro; e Heloisa Esteves, diretora de Estudos de Petróleo, Gás e Biocombustíveis da Empresa de Pesquisa Energética (EPE).

Acesse o Anuário do Petróleo no Rio 2020 no link https://bit.ly/301yKab. Acesse os Dados Dinâmicos do Anuário em https://bit.ly/3hWlie3.

error: Conteúdo protegido !