Afogamento e cuidados com as crianças

0

Oi pessoal! Na coluna dessa semana vou falar um pouco sobre os cuidados que devemos ter com as crianças e adolescentes que ainda não sabem nadar. Mais do que um esporte, a natação é hoje necessária. No Brasil o afogamento é a maior causa de mortes acidentais, segundo a ONG Criança Segura.
Seja qual for o ambiente do afogamento, uma piscina, um rio ou uma represa, existem alguns passos para se evitar uma tragédia. O primeiro deles é a prevenção. As crianças devem começar em aulas de natação o mais cedo possível. Quanto menor, melhor.
Hoje as escolas de natação oferecem aulas para bebês. A natação para bebês estimula a aptidão natural que eles possuem para se movimentarem na água. Estudos comprovam que até um ano de idade o bebê ainda possui o reflexo (de apneia), que significa que debaixo da água eles conseguem bloquear totalmente a passagem de ar pela boca, realizando o movimento automaticamente. É por isso que a natação para bebês acaba se tornando uma atividade mais fácil e que ajuda muito no desenvolvimento dessa criança.
Além de ajudar no desenvolvimento a natação para crianças e bebês ajuda a salvar vidas. Não existe uma recomendação exatamente de com quantos meses um bebê pode começar a prática esportiva, mas sabe-se de que com, pelo menos, três meses ele já pode fazer alguns exercícios na água.
Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), bastam 5 centímetros de água para um bebê se afogar na banheira, por exemplo. Em piscinas, devemos ficar atentos aos ralos anti-sucção e na praia as correntes de retorno.
É preciso ficar atento a qualquer sinal. Vigie as crianças e mesmo aquelas que já sabem nadar. O mar e piscinas podem ser muito traiçoeiros. Essa é a maior causa de morte acidental entre crianças na faixa de um a quatro anos, sendo a piscina o local onde a maioria dos incidentes ocorre, conforme o ministério da saúde.
O afogamento é um processo silencioso e é sempre bom se atentar para os sinais. Em caso de emergência, o melhor caminho é chamar ajuda e ligar para o número de emergência 193. Um projeto de lei que disciplina a prevenção de acidentes em piscinas no território nacional tramita no Congresso desde 2014.
Vamos ficar atentos galera, natação também é coisa séria, lembre-se que ela pode salvar vidas! Até a próxima semana!

Deixe um Comentário

error: Conteúdo protegido !