Sassaricando – Oscar Nora

0

Copa América 2019


Ontem, em Montevidéu, o Conselho da Confederação Sul-Americana de Futebol – Conmebol oficializou o início dos trabalhos do Comitê Organizador Local – COL da Copa América 2019, a ser realizada no Brasil. O Diretor Operacional será o ex-atleta olímpico Agberto Guimarães que terá uma equipe de trabalho com experiência na organização da Copa do Mundo do Brasil e na Olimpíada Rio 2016.

O COL será gerido por um Conselho de Administração formado por cinco integrantes: o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) Antônio Carlos Nunes de Lima, o Vice Fernando Sarney, que presidirá o Conselho, e o Diretor Executivo Rogério Caboclo, além dos ex-jogadores campeões mundiais pela Seleção Brasileira, Cafu e Branco.
+
A Copa América/2019 será realizada de 14 de junho a 7 de julho. Nas próximas semanas serão definidas as cidades sedes e as 16 seleções participantes, sendo 10 delas integrantes da Conmebol e mais seis convidadas. Esta será a quinta vez que a Copa América será realizada no Brasil. Nas vezes anteriores – anos de 1919, 1922, 1949 e 1989 – o Brasil conquistou o título continental.
+
É curioso o peso das conquistas da seleção brasileira na Copa América. Embora seja, disparada, a seleção continental sul-americana mais premiada do mundo, tem apenas 8 títulos do torneio, o que lhe dá um modesto terceiro lugar no ranking. O maior vencedor é o Uruguai, com 15 troféus, seguido da Argentina com 14. O atual campeão, Chile, o Paraguai e Peru têm dois títulos. Colômbia e Bolívia, apenas um.

Os maiores goleadores da Copa América

Na sequência, da esquerda para a direita, Zizinho, Norberto e Evaristo – Foto: Divulgação

Em compensação, o brasileiro Zizinho e o argentino Norberto Méndez, cada um com 17 gols, são os maiores goleadores de todas as edições da Copa América. Além disso, até hoje ninguém superou Evaristo de Macedo. Na Copa América de 1957, disputada na Argentina, o ex-atacante marcou cinco gols na vitória brasileira por 9 a 0 sobre a Colômbia.

Melhor Atleta do Ano do Prêmio Brasil Olímpico 2017

O Comitê Olímpico do Brasil (COB) anunciou quinta-feira, dia 22, os atletas que concorrerão ao troféu de Melhor Atleta do Ano do Prêmio Brasil Olímpico 2017. Os vencedores serão anunciados na cerimônia do Prêmio Brasil Olímpico, dia 28 de março. Os vencedores em 2016 foram Isaquias Queiroz e Rafaela Silva. Concorrem aos prêmios em 2017:

Ana Marcela Cunha (maratona aquática)

Três medalhas no Campeonato Mundial – uma de ouro, nos 25km, e duas de bronze nos 5km e nos 10km. Em dezembro, foi eleita a melhor atleta de maratonas aquáticas do ano pela Federação Internacional de Natação.

Ana Sátila (canoagem slalom)

Com a jovem Ana Sátila (21), pela primeira vez, o país subiu ao pódio do Campeonato Mundial de canoagem slalom. Na França, em setembro, Ana ficou com a medalha de bronze na categoria canoa para uma pessoa (C1).

Mayra Aguiar (judô), no feminino;

O título do Campeonato Mundial, no mês de setembro, a consagrou como a brasileira com mais medalhas na competição em todos os tempos. São cinco medalhas em Mundiais na categoria meio-pesado (-78kg).

Caio Bonfim (atletismo),

Ao terminar em terceiro lugar a prova de 20km da Marcha Atlética do Campeonato Mundial/20km de Londres, em agosto, Caio Bonfim alcançou um resultado inédito para a história do esporte brasileiro.

Evandro/ André (vôlei de praia)

Eles venceram a decisão do Campeonato Mundial de vôlei de praia em 2017. Foi a sétima conquista do vôlei do Brasil no torneio. Eles também foram os líderes do ranking mundial e levantaram a taça do Circuito Mundial.

Marcelo Melo (tênis), no masculino.

Marcelo Melo (34), atuando ao lado do polonês Lukasz Kubot, terminou a temporada 2017 como líder do ranking mundial de duplas. Foram seis títulos ao longo do ano, um deles no tradicional torneio de Wimbledon.

 

error: Conteúdo protegido !