Onze cassinos-resorts vão entrar em operação até 2023 no leste da Rússia

0

RÚSSIA

Primorsky Krai, região russa localizada no extremo leste do país, deve ganhar 11 cassinos-resorts até 2023. Ao menos, é o que indicou o governador regional interino do local, Konstantin Shestakov. Segundo ele, os estabelecimentos farão parte da Zona de Entretenimento Integrado Primorye, que deve se transformar em uma força para fazer o dinheiro render naquela zona territorial.

“Entramos na fase final de construção de dois novos complexos de entretenimento com cassinos na zona de jogo”, afirmou Shestakov, também mencionando outras construções em andamento. “Um investidor do Camboja está concluindo um hotel de 11 andares com um cassino e uma sala de concertos, enquanto um investidor russo lançará seu cassino provisoriamente em março de 2020”.

A abertura de novos empreendimentos voltados aos jogos de azar na região é resultado do absoluto sucesso do “Tigre de Cristal”, único cassino-resort operando na zona e que já se encontra em fase de expansão. Esse, contudo, não é um caso isolado, já que investimentos na área são uma tendência mundial – da qual o Brasil ainda não faz parte, tendo em vista a proibição dos cassinos em território nacional.

Com isso, as plataformas online têm sido a única opção legal disponível para os apaixonados por jogos e apostas em terras tupiniquins. Essa alternativa é possível porque a proibição dos jogos de azar no Brasil não se estende a sites estrangeiros. Entre as principais, a plataforma online do bet365 cassino oferece inúmeras vantagens aos seus usuários e pode ser citada como uma das mais populares do país.

Brasil na mira dos investidores

Apesar da proibição dos jogos de azar ainda persistir no Brasil, investidores de diversas partes do mundo já demonstraram interesse em realizar investimento no setor. O caso mais recente foi o do magnata dos cassinos Sheldon Adelson, um dos principais apoiadores da campanha presidencial de Trump, que é fundador e presidente da Las Vegas Sands (LVS). O empresário é líder do setor de resorts integrados a cassinos no mundo, com empreendimentos espalhados nos Estados Unidos, Cingapura e China.

De origem humilde, Sheldon Adelson se transformou no 24º homem mais rico do mundo, segundo estimativas da Forbes. Sua fortuna é avaliada em 35,1 bilhões de dólares. O bilionário esteve no Brasil em maio de 2019 e, na época, aproveitou a oportunidade para falar sobre seu interesse em realizar investimentos no país.

“Estou aqui para considerar o investimento em um ou mais resorts integrados”, afirmou em entrevista ao Valor Econômico. Ainda segundo o empresário, seu interesse é que os cassinos fiquem restritos aos complexos turísticos – o modelo integrado que, para a companhia, “é a única que pode trazer os benefícios desejados”.

Pensando em casos de sucesso espalhados pelo mundo, ele cita o exemplo de Cingapura, onde a receita de turismo aumentou de US$ 18,9 bilhões para US$ 27 bilhões entre 2010, quando os resorts com cassinos integrados foram abertos, e 2017.

Legalização pode gerar renda, recursos e emprego

De acordo com dados colhidos pelo Instituto Jogo Legal, a proibição dos sites de apostas online e cassinos no Brasil faz com que o país deixe de arrecadar, por ano, cerca de R$ 20 bilhões em impostos, valor que poderia ajudar a diminuir o atual rombo nas contas públicas. O cálculo foi realizado tomando como base países que já permitem a prática em seu território e, segundo as estimativas, o valor arrecadado poderia suprir o orçamento do programa Bolsa Família durante oito meses.

Além disso, o mercado de apostas e cassinos conta com um enorme potencial de empregabilidade. Ainda de acordo com os dados divulgados pelo Instituto Jogo Legal, a legalização dos jogos poderia gerar cerca de 1,3 milhões de novos empregos. Desses, 659 mil vagas seriam diretas. O volume é maior que o dobro de empregos gerados em 2018.

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !