Participação de milicianos do Rio em festa, em Angra dos Reis, está sendo investigada pela polícia

0

ANGRA DOS REIS/RIO

A participação de milicianos de Curicica, na Zona Oeste do Rio, em uma festa na cidade de Angra dos Reis, no último final de semana, já está sendo investigada pela Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DH-BF). Os agentes participavam de uma operação na tarde do último domingo, 26, atrás de foragidos da Justiça da capital, quando a transmissão ao vivo do grupo de pagode “Aglomerou” foi interrompida.

Após investigações, os agentes foram informados que milicianos estariam participando de uma festa e iniciaram a operação. Na ação, a apresentação do grupo de pagode foi interrompida, já que a festa estaria ocorrendo em uma casa próxima ao local onde a live estava sendo realizada.

Durante a ação, que contou também com a participação de agentes da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) da Polícia Civil, várias pessoas com passagens por tráfico de drogas, associação criminosa, roubos e outros crimes foram autuadas. A informação é que durante a interrupção da live do Aglomerou, os policiais não fizeram nenhum disparo. Os policiais entraram nas duas casas e interromperam a live para evitar maiores problemas, já que criminosos poderiam pular para a residência vizinha e levar perigo aos músicos. O objetivo dos agentes foi preservar os músicos e outras pessoas que estavam no local. Disparos foram feitos por criminosos que fugiram do imóvel ao lado da casa onde estavam os músicos.

O CASO

Na tarde do último domingo, 26, uma transmissão ao vivo do grupo de pagode “Aglomerou” foi interrompida por uma operação da Polícia Civil. O grupo cantava a música “Compasso” da banda Revelação quando ouviram barulho de tiros e policiais entraram no gramado de uma mansão, localizada no bairro Ribeira, onde estava acontecendo a live, transmitida pelas redes sociais. Apesar do susto, nenhuma pessoa ficou ferida durante a operação.

No vídeo, que esta circulando nas redes sociais, dá para ver quando a apresentação é interrompida pelo grupo. Em seguida, policiais entram na área onde acontecia o show. Até um helicóptero sobrevoa o local.

Um policial passa correndo no meio do grupo, com um fuzil nas mãos. Logo ao fundo do vídeo, dá para ver pessoas da produção correndo e mais policiais circulando pela área, próximo de uma piscina. Um helicóptero da corporação passa ao fundo. Em seguida, dá para ouvir os policiais mandando todos se abaixarem. Enquanto outro agente da Civil passa correndo com um fuzil e alguns integrantes se abaixam.

Após o susto, os músicos fizeram uma publicação nas redes sociais e tranquilizaram familiares e fãs. Garantiram que todos estão bem e que a entrada dos policiais ao local da live ocorreu por engano. O grupo prometeu remarcar a live.

 

error: Conteúdo protegido !