Paes visita Hospital da Mulher e quer implantar novas unidades na Baixada Fluminense

0

RIO

O candidato ao governo do Estado do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, visitou na manhã de quarta-feira o Hospital da Mulher Heloneida Studart (HMHS), em São João de Meriti, unidade da rede estadual de saúde que é referência no atendimento a gestações de alto risco. O candidato do Democratas afirmou que, se eleito, pretende implantar, na Baixada Fluminense, novas maternidades para as gestantes de baixo risco, que hoje dispõem de poucas unidades a que recorrer na hora do parto.

Além do Hospital da Mulher de São João de Meriti, os municípios da Baixada cortados pela Rodovia Presidente Dutra têm apenas outras duas maternidades públicas: o Hospital da Mãe, em Mesquita (estadual), e a Maternidade Mariana Bulhões, da prefeitura de Nova Iguaçu. Elas operam hoje constantemente sobrecarregadas. Paes disse ainda que pretende implantar no estado o projeto Cegonha Fluminense, à semelhança do Cegonha Carioca, criado na rede de saúde da cidade do Rio. O Cegonha Fluminense garantirá todo o atendimento pré-natal da gestante, o agendamento da unidade que fará o parto, o transporte no dia do nascimento da criança e um kit-enxoval para o bebê. O candidato voltou a reforçar também que pretende trabalhar com as prefeituras pela ampliação da cobertura da atenção básica em saúde, com a implantação de Clínicas da Família nos municípios.

“A saúde na Baixada é uma prioridade. Você tem três maternidades atendendo ao eixo da Via Dutra, duas estaduais e uma municipal em Nova Iguaçu. Esse número é muito pequeno. A gente tem que trabalhar muito com os municípios para eles aumentarem o pré-natal, aqueles exames que toda mãe tem que fazer durante a gestação. A gente tem que trabalhar muito isso com as clínicas da família”, disse. O candidato declarou que por outro lado é preciso fazer com que os municípios invistam em novas maternidades de baixo risco. “A gente quer trazer o Cegonha Fluminense, que é pré-natal, a mãe saber em que maternidade vai ter seu filho, e ainda ganhar o enxoval. São coisas que a gente fez na Prefeitura do Rio. E a gente quer reproduzir no estado em parceria com as prefeituras”, explicou Paes.
Segundo Paes, a ampliação da atenção básica em todo o estado, sobretudo na Baixada Fluminense, através das Clínicas da Família, ajudará a diminuir as complicações médicas num período tão frágil da mulher, que é a gestação. Além disso, a implantação de novas maternidades de baixo risco corrigiria o problema de mães sem complicações médicas tendo que recorrer à maternidade de referência para gestações de alto risco para terem seus bebês. “A gente precisa muito investir na atenção básica. Atenção básica na maternidade é pré-natal, os exames que as mães têm que fazer para terem seus filhos. Isso é fundamental. Muitas das mães que vêm pra cá, para esta maternidade de alto risco, vêm em razão da ausência desses exames de pré-natal. O Cegonha Fluminense é um programa que garante todos esses exames de pré-natal, garante que a mãe saiba em que maternidade ela vai ter o seu filho. Tem um pré-agendamento. No dia (do parto) ela pode ligar, e tem uma ambulância específica para levá-la para a maternidade. E ela recebe o kit enxoval. É tratar esse momento mais importante da vida com dignidade para as mães de nosso estado”, ressaltou Paes.
Paes disse que o desafio de melhorar o atendimento de Saúde será possível a partir do momento em que o governo volte a investir pelo menos o mínimo exigido pela Constituição, que é de 12% do orçamento do estado, na área. “Se o estado voltar a investir na saúde a sua obrigação constitucional, tem recurso para tudo isso. E mostrei isso na prefeitura. Aliás, a obrigação constitucional da Prefeitura era 15% e eu investia 25%. Saí de um orçamento de R$ 2 bilhões para um de R$ 6 bilhões. Ampliei enormemente a saúde”, frisou Paes.

 

Deixe um Comentário

error: Conteúdo protegido !