Marcelo Freixo destaca pontos fortes do interior para desenvolvimento do Estado do Rio

0

Pré-candidato a governador cumpre agenda em cidades do Sul Fluminense e fala sobre pontos de governo

SUL FLUMINENSE

“O interior do Rio pode ser uma grande solução de viés econômico para o Estado”. Essa afirmação é do pré-candidato a governador, Marcelo Freixo (PSB). Ele esteve nesta sexta-feira, 24, nas cidades de Barra do Piraí, Volta Redonda, Barra Mansa e Resende. A visita continua neste sábado em Pinheiral e retorna na cidade do Aço. Foi em Barra Mansa, quando se preparava para uma caminhada no Centro que o pré-candidato recebeu a equipe de reportagem do A VOZ DA CIDADE.

Ao falar do Estado, Marcelo Freixo destacou o atual dilema do Rio de Janeiro: um desequilíbrio na densidade demográfica ao contrário de São Paulo e Minas Gerais, onde quase 80% da população está concentrada na área Metropolitana. “Somos o terceiro menor estado em termos territoriais, mas muito importante economicamente, com concentração de ações mais para a capital. A cidade do Rio, Baixada e São Gonçalo concentram mais de 70% da população. Ao mesmo tempo, territorialmente, 70% está no interior”, destacou o pré-candidato, completando que o interior, portanto pode ser essa alternativa econômica para o estado.

E nesse ponto elenca a matriz energética. Para ele, qualquer mudança nessa área passará pelo o que o governo fará pelo o interior. “Oitenta por cento do petróleo nacional é produzido no Rio.  Estamos defendendo um modelo de desenvolvimento calcado na questão ambiental e climática. Precisamos continuar usando o petróleo – o orçamento do Rio depende muito disso, mas o próprio dinheiro do petróleo é finito e ele tem que gerar uma alternativa colocando o Rio no século 21. O Rio tem potencial para gerar outras formas de energia, seja solar ou eólica, e isso pode dar ao interior um ativo econômico que gera emprego, renda e crescimento”, apontou.

O turismo, segundo ele, é outra área que precisa ser melhor trabalhada. Apesar do Sul Fluminense ser forte na indústria e no metalmecânico, destacou que é necessário criar nova vocação. E com a diversidade do que os municípios podem oferecer, ressalta ações no turismo religioso, ecológico, cultural e histórico, de maneira que funcione efetivamente no Estado.

Para Freixo, o Rio tem potencial para gerar outras formas de energia – Foto: Gabriel Borges

‘O GOVERNADOR DA EDUCAÇÃO’

Questionado sobre onde será a maior transformação do Estado caso seja eleito governador, Marcelo Freixo foi enfático em responder que será na educação. “Quero ser o governador da educação. Sou professor e me preocupa muito o que aconteceu nesses dois anos de pandemia de Covid-19. Já vínhamos de uma crise anterior que foi acrescida com a pandemia gerando um déficit de aprendizagem que gerará uma queda de renda brutal. Tivemos uma juventude inteira dois anos sem aprender nada. É um processo grave de defasagem de aprendizagem. Temos que ter um investimento muito grande e pesado na educação. Fazer uma revolução de aprendizagem, recuperar os Cieps, colocar internet, avançar no tempo integral, fazer com que alunos da rede de pedagogia e licenciatura sejam imediatamente contratados fazendo um processo de residência pedagógica, para que as aulas de reforço seja o estado que ofereça aos alunos. Precisamos recuperar o que foi perdido”, explicou Freixo, reforçando que isso poderá ajudar a combater o abandono dos estudos. Citou que atualmente apenas 64% dos jovens de 19 anos no estado estão estudando.

Segundo o pré-candidato a governador, o investimento na educação reflete de maneira muito clara na segurança. Nessa área, como ponto imediato, Freixo pretende investir na integração das polícias civil e militar, plano de segurança e de meta para valorização dos servidores. “Nada disso funciona hoje. Polícia boa é polícia com inteligência e investimento. A violenta nunca resolveu nada. Temos que treinar e remunerar bem”, afirma.

A luta contra corrupção foi outra área que Freixo sempre destacou. Chamou atenção para comportamentos antigos que se repetem na política, pedindo que as pessoas pesquisem e fiquem antenadas no que acontece. “É uma eleição contra a máquina. Derrotar o atual governador e o presidente Bolsonaro é uma necessidade no Rio. E o Castro é Bolsonaro. O Rio tem uma crise de receita, mas tem uma crise de credibilidade. Já teve cinco governadores presos e o atual é um forte concorrente a manter a tradição. Precisamos ter outra governança para recuperar a credibilidade”, apontou.

ALIANÇAS

Na entrevista, o atual deputado federal destacou que está no PSB atualmente para fazer alianças, por isso até mesmo saiu do Psol. Contou que conseguiu reunir a esquerda e está batalhando para trazer o centro para o projeto político. “Isso é fundamental para governar e não para vencer a eleição”, destacou Freixo que convidou Cesar Maia para ser seu vice-governador na chapa. “Estamos aguardando”, concluiu.

Visita de Freixo continua neste sábado em Pinheiral e Volta Redonda – Foto: Gabriel Borges