Conselho do Furban e entidades promovem manifestação em frente ao Palácio 17 de Julho

0

Conforme havia sido anunciado na semana passada, representantes do Conselho do Fundo Comunitário (Furban), posseiros da Ocupação Dom Waldyr Calheiros, além de entidades sociais e outros, participaram no final da tarde de ontem, de um ato na Praça Sávio Gama, em frente ao Palácio 17 de Julho, no Aterrado. O apelo público da sociedade organizada foi em defesa do Furban, órgão criado no final da década de 1980 para tratar, especificamente, de políticas públicas relacionadas aos núcleos de posses no município.

Durante a ação, manifestantes que cobram o retorno ao Conselho da líder Márcia Lobão e do engenheiro Nilton, destacaram que o Bispo Dom Waldyr Calheiros, na época de criação do Furban, teve um papel preponderante no apoio e valorização do espaço de serviço aos pobres. No ato de ontem, segundo os manifestantes, o destaque foi valorização dos dois servidores extremamente dedicados, que foram deslocados pelo Governo Municipal para outros setores da prefeitura.

“Minha vitória é ver o povo se empoderando. Os meus 18 anos no Furban foram válidos e toda a dedicação de Dom Waldyr e suas discípulas frutificaram. O importante é avançarmos na luta”, declarou Márcia.

Os manifestantes garantem que, querem os conselheiros de volta, mas conforme informou a direção do Fundo Comunitário de Volta Redonda, na semana passada, o Furban não possui quadro próprio de funcionários, por isso utiliza os cedidos por outras secretarias e autarquias do município. Explicou ainda que, a Coordenadoria de Proteção e Defesa Civil solicitou o apoio de um engenheiro para cobrir as férias de uma engenheira da Coordenadoria. Os manifestantes temem o fim do Furban, que foi criado em 1993, com o objetivo de melhorar a qualidade de vida da população sem teto.

Com faixas e cartazes denunciando a possível privatização do Hospital São João Batista (HSJB), os manifestantes permaneceram por cerca de uma hora na praça, prometendo dar continuidade ao movimento. Viaturas da Guarda Municipal permaneceram no local até o final do ato. Estiveram presentes também no ato, representantes do Sindicato das Empregadas Domésticas e do Movimento pela Ética na Política (MEP).