Após estragos causados pelas chuvas prefeito de Barra Mansa se reúne com equipe da Defesa Civil do Estado

0

BARRA MANSA

O prefeito de Barra Mansa, Rodrigo Drable, se reuniu na tarde desta quarta-feira, 10, com o coronel Watanabe e o major Robson, ambos membros da Defesa Civil do Estado do Rio de Janeiro. O encontro aconteceu na Via Sérgio Braga, principal estrada de acesso ao município de Volta Redonda, onde houve o deslizamento de encosta ocasionando a obstrução da via para o trânsito desde a última segunda-feira, dia 8. Durante a visita da equipe, Drable aproveitou para alinhar estratégias a fim de evitar que as chuvas causem grandes impactos no município, definindo uma logística de trabalho dos agentes da Defesa Civil de Barra Mansa, caso a situação se agrave.

Ainda no decorrer do encontro foi definido que as dez sirenes de alerta de chuvas e enchentes no município serão reativadas. A partir da próxima semana a empresa que ganhou o processo de licitação começará os serviços de manutenção e teste dos equipamentos para iniciar a sua utilização.

“Essa é uma conquista que nos alivia, porque aquele problema do rio encher, transbordar e as famílias não serem informados com antecedência é o maior causador de estragos, como esse que vimos e estamos trabalhando para amenizar”, expressou o prefeito.

Rodrigo Drable ainda completou agradecendo aos envolvidos na operação de limpeza da cidade. “Sou grato ao comandante da Defesa Civil do Estado, coronel Robadey e ao nosso governador Witzel, que estão dando uma atenção para o interior, especificamente nesse ponto que é religar as sirenes”, frisou.

Desde o fim de 2016 foi assinado um termo de compromisso entre a Defesa Civil do Estado, o Governo Federal e o Governo Estadual, no qual doze municípios do Estado, dentre eles Barra Mansa, aguardavam o fim do processo de licitação para a contratação de uma empresa para manutenção do sistema de alerta e alarme por sirenes.

Enquanto não foi obtida uma solução efetiva sobre quando as sirenes seriam religadas, a Defesa Civil fazia alerta de chuvas, transbordamento dos rios e riscos de desmoronamento através de mobilizações com carros de som, Whatsapp e informes em emissoras de rádio e jornal.

Foto: Divulgação