Anvisa aprova primeiro teste para diagnóstico da Monkeypox no Brasil

0

SUL FLUMINENSE
Na terça-feira, dia 20, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o registro do primeiro teste para diagnóstico de Monkeypox, mais conhecida com Varíola dos Macacos, e outras patologias com sintomas semelhantes. O produto é o Kit Molecular Multiplex Bio-Manguinhos, fabricado pela Fundação Oswaldo Cruz, que detecta as regiões genômicas dos vírus Orthopox, Monkeypox e Varicella Zoster. Na Região das Agulhas Negras, foram registrados mais de 20 notificações e quatro casos confirmados. As secretarias de Saúde seguem aguardando mais informações sobre o caso.
De acordo com as secretarias de Saúde da Região das Agulhas Negras, formada pelos municípios de Resende, Itatiaia, Porto Real e Quatis, registrou, até o momento, 21 notificações da Varíola dos Macacos. Destas notificações, quatro casos da doença foram confirmados, sendo três em Resende e um em Porto Real. Todas as pessoas passam bem e já retornaram as suas atividades pessoais.
12 NOTIFICAÇÕES DA DOENÇA EM RESENDE
Segundo a Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Resende, na cidade foram registradas na Secretaria de Saúde, 12 notificações da doença. Três casos foram confirmados após exames laboratoriais, seis descartados e três ainda aguardam o resultado. Em Porto Real, também de acordo com a Assessoria de Imprensa, um caso de Monkeypox foi registrado. O paciente já está curado. Ainda, segundo a Assessoria, até o momento não foi registrado nenhum outro caso da doença.
Já em Itatiaia, não foi confirmado nenhum caso da doença. A prefeitura informou que recebeu a notificação de quatro casos da Monkeypox. Após teste analisados no Laboratório Central Noel Nutels (Lacen-RJ) todos os testes foram negativos. A Prefeitura de Quatis, informou que foram registrados, até o momento, quatro casos suspeitos, mas todos descartados.
Em Barra Mansa, só foi confirmado um caso, em 12 de agosto, de um jovem, de 21 anos, e não há nenhum suspeito até o momento.
Já em Volta Redonda, a Secretaria Municipal de Saúde confirmou no último dia 5 o primeiro caso da doença na cidade. O paciente é um homem, de 45 anos, que procurou atendimento na Unidade Básica de Saúde da Família do bairro 249 no dia 16 de agosto. O homem teria informado na ocasião que estava com sintomas desde o dia 1º de agosto e apresentava lesões em crostas na região torácica. O paciente foi atendido, realizou a coleta para o exame e foi orientado a cumprir isolamento social, que terminou no dia 22 de agosto.
A informação da Vigilância em Saúde de Volta Redonda, em nota, na ocasião, foi de que o paciente evoluiu bem, sem necessidade de hospitalização. Os contatos próximos a este paciente foram monitorados e não apresentaram sintomas da doença.
A partir de agora, de acordo com a Agência Nacional de Saúde (ANS), o teste para diagnóstico da Monkeypox também passa a ser incorporado no Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde da ANS e permitirá o diagnóstico, isolamento e tratamento precoce, evitando a disseminação da doença. A orientação é que pessoas com sintomas de varíola dos macacos devem procurar imediatamente uma unidade básica de saúde para avaliação.