Alunos realizam projeto social de reflorestamento em Arrozal

0

PIRAÍ

Uma ação de reflorestamento será realizada em Arrozal, distrito de Piraí, pelos alunos do 1º e 2º ano do Colégio Estadual Octavio Teixeira Campos, com a parceria da Secretaria de Meio Ambiente e a Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae), através do projeto Replantando Vida. A iniciativa, que partiu do incentivo do professor articulador Anderson de Queiroz, faz parte de uma ação que visa estimular os jovens em projetos sociais e os próprios adolescentes tiveram a ideia de realizar a plantação. O projeto consiste em um pomar popular, onde a plantação será realizada em um terreno, localizado no Bela Vista, no próximo dia 4.

São cerca de 30 alunos envolvidos na ação e as mudas serão doadas pela Cedae, que já tem uma parceria com o município para a plantação de árvores. As mudas fornecidas são frutíferas nativas da Mata Atlântica, como jabuticabas, uvaias, pitangas, goiabas, grumixamas e pacapari. A Cedae também fará as covas, onde os jovens plantarão as mudas. Essa ação vem sendo elaborada desde o início do ano e as parcerias foram fechadas no dia 5 de junho, na ocas Chikungunya ião, a Cedae já teria doado 100 frutíferas aos alunos, que distribuíram as plantas para que a comunidade. Após a plantação do dia 4, o próximo local que receberá o projeto, será nascente do Rio Cachimbal.

Para o secretário de Meio Ambiente, Mario Luiz Dias Amaro, é importante que a cidade apoie ações como essa, uma vez que essa atitude traz vários benefícios. “Nossa parceria com a Cedae é antiga e eles sempre fornecem as mudas para nós com o projeto que eles realizam, onde também usam a mão de obra de pessoas que estão cumprindo penas alternativas”, disse, pontuando os benefícios que a arborização traz a cidade. “Isso protege a margem dos rios e córregos, protege as nossas nascentes. Envolver crianças e jovens no projeto também é de suma importância, pois eles vão levar esse aprendizado para o resto da vida. É um trabalho que dá sustentabilidade e melhoria na qualidade de vida”, disse.

Segundo o professor Anderson de Queiroz, a intenção era criar algo que estimulasse o aluno em projetos sociais. “A ideia de plantar foi uma iniciativa deles”, disse, ratificando a importância da ação. “Isso também faz com que o aluno não fique limitado na sala de aula, o ajuda a se tornar autodidata. Além disso, a ação beneficia o meio ambiente e leva bem estar à comunidade, pois irá gerar frutos, sombra, e atrairá a fauna, que poderá levar as sementes a outros locais”, concluiu.

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !