O que é segurança aquática?

0

Oi pessoal!

No mês da segurança aquática volto a tocar no assunto, já que é um dos tópicos que não pode deixar de ser falado hoje em dia, principalmente por ajudar a informar inúmeros pais, mães, familiares e amigos a prevenir um conhecido do afogamento.
A professora de natação e psicomotricista aquática, Nívea Ferreira Alves, é proprietária da Escola Nívea de Natação em Barra Mansa e conta um pouco sobre o que é a segurança aquática e suas principais formas de atuação.
Segurança Aquática é se prevenir contra o afogamento, um grave problema no Brasil e no mundo. Ela é a segunda causa de morte infantil de zero a quatro anos; são sete mil mortes por ano. Só no Brasil, são 16 afogamentos por dia, sendo que três são crianças.
O afogamento não é um acidente e sem um incidente, é totalmente previsível.  A Sociedade Brasileira de salvamento aquático (Sobrasa) passou a investir na prevenção, pois é a melhor forma de conscientizar a população deste grave problema. As escolas de Natação são fundamentais para fazer este trabalho de alcance social.
Para ajudar no combate ao afogamento, foi criado um projeto para deixar a piscina mais segura, pois 53% dos casos de óbitos acontecem nesse ambiente e a maioria em residências. São cinco medidas importantes para ter ao redor da piscina: A primeira é ter 100% de atenção na criança; a presença de um guarda-vidas; Saber como agir em caso de urgência; Acesso restrito as piscinas com grades de proteção; ralos anti-sucção e bombas com desligamento automático.
Sabemos hoje que aulas de natação salvam vidas, mas a criança não é a prova de afogamentos. Nas aulas de natação deve ser trabalhado o comportamento do aluno, e ensinar a eles as principais competências aquáticas, que são: saber fazer uma entrada segura na água, um bom controle respiratório, saber flutuar em decúbito dorsal e ventral, nadar de frente e de costas, o que é essencial para um salvamento, nadar debaixo d’água e fazer uma saída segura reconhecendo uma corrente de retorno (quando o mar está puxando para dentro).
Existe uma tabela subjetiva de risco de afogamento, que varia entre e nela você pode verificar o risco de segurança. Ela varia de acordo com a habilidade de flutuação básica ou avançada. Algumas dicas de segurança para quem vai sair agora neste verão de férias e vai para piscina: As meninas devem prender o cabelo para não atrapalhar os mergulhos e não correr o risco se passar perto do ralo de sucção, não deixar nada próximo à beira da piscina para não tropeçar, evitar brincadeiras de mergulhos segurando o amigo no fundo para ver quem fica mais tempo. Respeitar as normas do clube, hotel, ou aonde você for frequentar. Saber onde é o raso e fundo, e não correr em volta da piscina.
Para quem vai para praia e cachoeiras, o cuidado deve ser redobrado, pois a natureza nos surpreende sempre.  Nívea sempre nos lembra que o afogamento na vida real não é igual ao do cinema, ele é rápido e silencioso, portanto com estas instruções e dicas, podemos ajudar a diminuir o número de vítimas.
Fiquem atentos as dicas e não se esqueçam de curtir minha página no Facebook: Matheus Gonche e de me seguir no Instagram: @gonchematheus.
Todas as colunas publicadas aqui no A VOZ DA CIDADE estão também no meu site: www.matheusgonche.com.br.

Até semana que vem!

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !