Saúde mental não deve ser tabu

0

NACIONAL

Falar sobre saúde mental, depressão, ansiedade e suicídio exigem cuidados, mas não podem ser deixados de lado, sobretudo em um cenário de crescimento dos casos de autolesão em todo o mundo. De acordo com pesquisadores, a dificuldade existe porque há estigmas e pouca compreensão da sociedade dando margem, com frequência, a visões que carregam preconceito. Muitas vezes, o tabu interdita à circulação da informação, o que é importante para evitar novas ocorrências de suicídio.

O psicólogo Renan Machado, destaca que faltam redes humanas de apoio, as pessoas vivem mudanças na configuração dos relacionamentos e tudo isso pode criar uma sensação de que você vive aquele sofrimento sozinho. “Por isso, uma das apostas que fazemos em nosso atendimento preventivo é na expressão. Até para que se possa falar também das coisas ruins. Nas redes sociais, em geral, as pessoas falam das coisas maravilhosas. E é importante falar mais amplamente sobre os sentimentos, principalmente, os tristes”, diz.

Especialistas avaliam que adolescentes e jovens são mais suscetíveis a problemas emocionais e transtornos mentais, porque há muita expectativa e insegurança em relação ao futuro. Para Renan, o mundo atual cobra uma urgência pelo sucesso, e as tensões e pressões são mais exacerbadas. “Em um mundo mais lento, talvez conseguíssemos entender que esperar é um das possibilidades. Mas não é o que ocorre hoje”, constata.

Ir ao Psicólogo não é um bicho de sete cabeças, nem uma medida para casos extremos, como muitos ainda acreditam. “Hoje a ideia que os profissionais tentam difundir é que a prevenção deve ser a grande preocupação de todas as pessoas quando o assunto é saúde mental. Vemos muitos exemplos de pessoas que adiam a ida ao psicólogo por acreditar que este não seja o melhor caminho para elas. Isso se deve à falta de informação, pois infelizmente ainda existe o pré-conceito de que psicólogo é alguém com quem você apenas irá bater um papo e isso poderia ser feito com qualquer pessoa: amigos, familiares, o companheiro”, explica.

O psicólogo afirma que há um consenso entre a categoria e os psiquiatras sobre a importância de que as abordagens de prevenção tenham como objetivo o estímulo a um ambiente favorável para que o jovem possa falar sobre seus sofrimentos com pessoas próximas e com profissionais capacitados.

Quando iniciar uma psicoterapia?

  1. O passado o acompanha constantemente
  2. Você se sente um grande desconforto, sofrimento ou fica triste a maior parte do tempo
  3. Não conseguir enxergar claramente o futuro
  4. Crise existencial
  5. Você sente que não tem controle sobre sua vida
  6. Pensamentos negativos constantes
  7. Você sente muita raiva contra o ambiente em que vive
  8. Você não está bem com seu parceiro
  9. Você se sente estressado
  10. Você tem problemas para dormir

 

Deixe um Comentário

error: Conteúdo protegido !