Firjan divulga sondagem que aponta otimismo de empresários para este ano

0

SUL FLUMINENSE

A Firjan divulgou nesta quarta-feira a pesquisa “Retratos Regionais- Cenário Econômico” que demonstra perspectiva dos empresários da região a respeito da atividade econômica para 2018. A pesquisa demonstra que o cenário é favorável para exportações. O polo automotivo e o setor metalmecânico ajudarão a consolidar a indústria da transformação da região. Foram analisados dados de 17 municípios do Sul Fluminense, além dos cenários econômicos internacional, nacional e do estado do Rio por especialistas da Federação das Indústrias.

O Sul Fluminense tem 1,2 milhão de habitantes e um Produto Interno Bruto (PIB) estimado em R$ 45,5 bilhões em 2015. Aqui está o maior polo automotivo e metalúrgico do estado. A região é a terceira que mais arrecada ICMS, atrás apenas da capital e da Baixada Fluminense.

A indústria corresponde a 24% do mercado de trabalho, média superior à observada no estado (15%). Dessa atividade, 77% é composta pela Indústria de Transformação: são quase 50 mil trabalhadores divididos entre diversos setores como metalurgia, veículos automotores, naval, produtos de metal e de alimentos. Apesar da crise no estado, que refletiu na região, alguns indicadores já apresentaram resultados melhores em 2017, como as importações, por exemplo, com um crescimento de 26%. Além disso, o Sul Fluminense é uma das únicas regiões que registrou saldo positivo no mercado de trabalho no ano passado, ao lado do Noroeste Fluminense. A Indústria da Transformação abriu 1,5 mil vagas, com destaque para os setores que exportam, como metalurgia, veículos automotores e máquinas e aparelhos elétricos. O Sul do estado também foi uma das poucas regiões a gerar oportunidade de emprego em comércio e serviço, com 1.360 vagas abertas em 2017.

Para o coordenador de estudos econômicos da Firjan, Jonathas Goulart, o resultado é expressivo tendo em vista as mais de 92 mil vagas fechadas no estado em 2017. “As pessoas que perderam o emprego foram buscar oportunidade empreendendo. O número de microempreendedores cresceu 15% e o registro de empresas cadastradas no ano passado no Simples Nacional aumentou 10% em relação a 2016”, salientou o coordenador de estudos econômicos da Firjan, William Figueiredo.

OTIMISTAS

Com esse cenário de retomada, os empresários da região iniciaram 2018 otimistas. Eles esperam um aumento na demanda por produtos e na compra de matéria prima. Por outro lado, a geração de empregos e o volume de investimentos ainda não vão se recuperar neste momento. “Primeiro espera-se retomar a produção, para voltar a contratar e fazer investimentos. Nesse contexto, a expectativa do empresário é que a retomada seja no segundo semestre de 2018 e primeiro semestre de 2019”, detalha Figueiredo.

PESQUISA

A Sondagem Industrial da Firjan foi divulgada através de um ciclo de palestras que contou com dez encontros abrangendo todas as regiões fluminenses. As palestras sobre cada uma das regiões têm uma hora de duração e podem ser assistidas na íntegra através do Youtube Live. O link de acesso à palestra é https://www.youtube.com/sistemafirjan.