ANP registra redução ‘tímida’ no valor da gasolina nos postos do Sul Fluminense

0

SUL FLUMINENSE

O preço da gasolina segue oscilando no mercado nacional deixando consumidores aflitos. Na região, os postos mantêm a política de valores quase inalterada, os preços praticamente não acompanham a queda gerada pela estatal às refinarias, que por sua vez, revendem às distribuidoras e postos. Desde terça-feira, 27, o litro do combustível caiu de R$ 1,5556 para R$ 1,5007, o que representa uma redução de 3,53%. No somatório mensal a queda é de 19,42%.

Segundo a Petrobrás, a baixa é reflexo da queda no preço do petróleo no mercado internacional, baixando 8%, no dia 23. O repasse dos reajustes da Petrobras nas refinarias aos consumidores depende dos distribuidores, assim, fica a cargo dos postos repassarem ou o preço da gasolina ao cliente. Desde julho do ano passado a Petrobras adota a política de ajuste de preços dos combustíveis com maior periodicidade.

Nos postos da região os valores principalmente da gasolina motivam reclamações dos motoristas e queixas nos postos. “O consumidor nunca tem a seu favor essa queda que a Petrobrás concede às refinarias completamente. Sempre falta um pouco, baixam um pouco, tiram um pouco. Não tem que ser na mesma proporção? Eu abasteço duas vezes na semana e está difícil manter o carro com meio tanque. Pago R$ 4,98, mas já achei gasolina normal a R$ 5,15. Um absurdo”, reclama o professor Wesley Nogueira, de Resende, que mantém gasto mensal com R$ 390 devido ao trajeto de casa ao trabalho, na cidade vizinha de Volta Redonda. “Essa redução praticamente não chega ao cliente”, reclama.

PESQUISA DE PREÇOS

E segundo os dados mais recentes de pesquisa de preço realizado pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), entre os dias 18 e 24 e divulgada na terça-feira, dia 27, o valor da gasolina teve queda tímida nas bombas em postos do Sul Fluminense perante os quase 20% que o consumidor almejava. No estado o preço médio da gasolina é R$ 4,798/l, sendo que nas cidades da região oscilam o litro do principal combustível automotivo é praticado entre R$ 4,892 (Três Rios) e R$ 5,261 (Angra dos Reis). A cidade da Costa Verde é a que detém a gasolina mais cara segundo os dados da ANP, apesar da redução de 2,97% – queda de R$ 5,422/l para atualmente R$ 5,261/l, com redução de 2,97%.

O motorista sente no bolso as oscilações no valor da gasolina, que registra pequena redução em novembro

A pesquisa da ANP aborda ainda os valores praticados da gasolina nas cidades de Barra do Piraí, Barra Mansa, Resende, Valença e Volta Redonda. Em Barra do Piraí a gasolina teve queda em novembro de 2,31%, perante os R$ 5,327/l no início do mês perante os atuais R$ 5,116/l, conforme pesquisa em nove postos. Em Barra Mansa, 13 postos foram fiscalizados e os valores tiveram pouca oscilação no mês, mas também baixaram. Os dados da ANP mostram que a queda da gasolina comum foi de 0,59% no período: redução de R$ 5,106/l para R$ 5,076/l.

Na cidade de Resende, 11 postos foram fiscalizados indicando baixa de 2,54%, sendo R$ 5,11/l no início do mês e R$ 4,98/l, atualmente. “Não adianta baixar o preço com o tanque do posto cheio, adquirido no valor acima. Após encerrar o estoque e ocorrer nova encomenda das distribuidoras. O novo lote, provavelmente terá valores mais em conta”, projeta o gerente de uma rede, Mario Goulart.

Em Três Rios, oito postos foram pesquisados e os valores baixaram em 3,11%, reduzindo de R$ 5,049/l para R$ 4,892/l. A ANP fiscalizou no início do mês 10 postos em Valença e atualmente nove, entretanto, a pesquisa também aponta queda da gasolina em 3,61%: o litro baixou de R$ 5,375 para R$ 5,181. Em Volta Redonda foram pesquisados 10 postos nos primeiros dias de novembro e nove na pesquisa mais recente. A Cidade do Aço também registrou queda do valor da gasolina nas bombas em 1,96% – de R$ 5,147/l para R$ 5,046/l.

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !