A história por detrás da lenda

0

VOLTA REDONDA
[email protected]

Nessa época do ano muito se ouve falar do Papai Noel, especialmente da boca das crianças, um velhinho que ‘realiza’ sonhos. Mas e a pessoa que existe por dentro das roupas vermelhas da mais tradicional lenda natalina, quais serão seus sonhos? Como é a preparação para viver esse momento único na vida de tantos baixinhos? Hoje o A VOZ DA CIDADE traz um pouco da vida do uruguaio Hugo Andres Diaz, o Papai Noel do Sider Shopping de Volta Redonda, que realizou neste ano seu sonho de infância.
Hugo acaba de fazer 63 anos, seu aniversário foi no último dia 20. Aos 63 anos, está no Brasil há 40 e, desde sempre, carregava consigo o sonho de ser Papai Noel. Ao lado de seus pais e quatro irmãos sua casa era aberta para visitas durante a época de Natal. “Montávamos presépio, árvore, nossa sala era aberta para visitas, era famoso na época. Mas, tivemos que nos mudar para um apartamento e não montamos mais o cenário”, lamenta.
Hugo veio ao Brasil por conta de uma paixão, que por conflitos religiosos, não pode ser concretizado; então, o estrangeiro foi viajando pelo Brasil até fixar residência no Espírito Santo, onde teve seus filhos. Lá é proprietário de uma oficina mecânica. “Ao longo dos anos a vontade de ser Papai Noel foi ficando guardada, mas jamais esquecida. No ano passado, nesta mesma época, sofri um ataque de pressão alta e fiquei internado. Duas pessoas que estavam na enfermaria internadas, morreram. Dali eu repensei em toda a minha vida e resolvi correr atrás do meu sonho de infância”, relembrou emocionado.


SONHO QUE SE REALIZA
Ao ter alta, Hugo foi a um shopping do Espírito Santo querendo ser Papai Noel do local. Recebeu um não como resposta e foi procurar ajuda especializada. “Através da internet fiquei sabendo que existia uma escola de ‘Papais Noéis’ e mandei e-mail me interessando por uma vaga. Como estávamos no início do ano, me pediram um tempo. Alguns meses depois me retornaram o e-mail, me convidando para ser aluno da escola”, conta.
Durante alguns meses o Papai Noel em formação aprendeu noções de psicologia infantil, aulas de improvisação, dicção, interpretação, postura, figurino e maquiagem. Também realizou dinâmicas de grupo, além de frequentar a academia de ginástica para avaliação física. Ensinamentos sobre como cuidar da barba e do cabelo, assim como técnicas de expressão corporal, também fizeram parte do aprendizado dos Papais Noéis, para ajudá-los a enfrentar a rotina de trabalho nos dois meses que antecedem o Natal, quando atendem crianças e adultos em shoppings, lojas, escolas e residências. “Criança pergunta cada coisa! Precisamos estar atentos, saber lidar com elas. Exemplo disso, é que muitas combinam de deixar suas chupetas e mamadeiras com Papai Noel, em troca de presentes. Quando visto minha roupa, não sou mais o Hugo, e sim o verdadeiro Papai Noel. Quando mudei minha roupa pela primeira vez, e vi a primeira criança vindo correndo até mim, foi emocionante, ali vi todo o sentido da minha vida. Criança é renovação, é vida, é especial”, destaca informando que as crianças querem saber a idade dele, puxam a barba, onde está o treno, quantas e quais os nomes das renas, além de querer saber como Papai Noel vai entrar na casa delas.
No início de sua profissionalização como Papai Noel, foi informado que cobriria folga de outros profissionais, mas que por conta de problemas pessoais, o de Volta Redonda precisou se afastar e Hugo assumiu seu primeiro trabalho como Noel. “O público é o mais variado, desde os bebês, até idosos. Todos vêm com um abraço e uma palavra de carinho. É cansativo, tem o calor, mas é recompensador, não reclamo, é o meu sonho e eu não tenho palavras para descrever tudo o que estou vivendo”, citou, contando que na última semana visitou a Apae VR entregou alguns presentes e fez a festa para a criançada.


OSCAR NOEL
No próximo dia 26 todos os Papais Noéis se reúnem na Praça da Bandeira, no Rio de Janeiro onde almoçam juntos e colocam as barbas de molho, alguns cortam. E divulgam quem é o vencedor do Oscar Noel promovido pela escola. “Só ai eu vou pensar no que vou pensar no próximo ano, já que fechei a oficina para me dedicar a ser Papai Noel. Mas uma coisa é certa, no próximo Natal, continuo sendo o Bom Velhinho, o sonho está mais vivo do que nunca”, conclui.


A ESCOLA
Criada em 1993, por Limachem Cherem, Escola de Papai Noel, já formou mais de mil pessoas. Os candidatos a Bons Velhinhos e Noeletes (ajudantes de Papai Noel) podem se inscrever pelo e-mail [email protected] ou pelo telefone: (21) 3177-0190. O curso é gratuito.
Para concorrer às vagas é preciso ter mais de 50 anos, cabelos e barbas brancos ou grisalhos, não ter vícios, e o principal: adorar crianças. Já para as Noeletes, o pré-requisito é ter entre 18 e 25 anos de idade.
As aulas são eliminatórias e existe uma pré-seleção para os alunos, e quem não se encaixar no perfil desejado pela escola abrirá espaço para outro que está na lista de espera.

 

Deixe um Comentário

error: Conteúdo protegido !