Requisição do seguro-desemprego tem queda de 11,6% em setembro

0

SUL FLUMINENSE

O Ministério da Economia registrou a redução de 11,6% no total de requerimentos do seguro-desemprego no país, durante a primeira quinzena de setembro, no comparativo com a última quinzena de agosto.

Nos primeiros 15 dias de setembro, a modalidade trabalhador formal registrou 218.679 requerimentos ao seguro-desemprego em todo o país, contra 247.445 requerimentos no fim de agosto. Houve, portanto, neste comparativo, uma diferença de 28.766 requerimentos.

No Rio de Janeiro foram 17.420 requerimentos, sendo 13.665 pela internet. Confira abaixo a proporção de requerentes por tipo de posto de atendimento:

SALDO ANUAL

No acumulado de janeiro até 15 de setembro, foram contabilizados 5.203.736 pedidos de seguro-desemprego. O número representa um aumento de 6,7% em comparação com o acumulado no mesmo período de 2019 (4.876.556). Do total de requerimentos neste ano, 2.909.114 foram realizados pela internet (55,9%). No mesmo período de 2019, apenas 1,6% dos pedidos (80.325) foram on-line.

Do total de pedidos feitos na primeira quinzena do mês, 137.530 (62,9%) foram realizados via web, seja por meio do portal gov.br ou pela Carteira de Trabalho Digital. As superintendências regionais do Trabalho reforçaram as ações para garantir o atendimento não presencial aos cidadãos durante o período da pandemia da Covid-19. Estão disponíveis canais adicionais de atendimento remoto.

Para dúvidas e esclarecimentos, o trabalhador pode acionar a Superintendência Regional do Rio de Janeiro,  por meio de formulário on-line ou ainda pelo telefone (21) 2212-3572/3560. Abaixo, dados dos pedidos realizados no estado do Rio de Janeiro na primeira quinzena de setembro:

SEGURO-DESEMPREGO

Nos municípios, como na região Sul Fluminense, o principal canal de solicitação é o posto do Sistema Nacional de Emprego (Sine) com agendamento do atendimento. Em Resende, por exemplo, a orientação aos trabalhadores demitidos sem justa causa é fazer a solicitação  em até 120 dias após a demissão, acessando o site http://saaweb.mte.gov.br/ ou pelo telefone 158.

O trabalhador deve observar o local de agendamento para a sequência do atendimento. Com já citado, também é viável utilizar o aplicativo Carteira de Trabalho Digital. Em junho, o A VOZ DA CIDADE divulgou o guia de orientação sobre o seguro-desemprego, criado pela prefeitura.

Outra novidade sobre o seguro-desemprego é que a partir da Resolução nº 847/2019 do Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat) em conjunto com a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Caixa Econômica Federal e a Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência (Dataprev), ficou possível o pagamento do seguro-desemprego por conta corrente.

Para solicitar o trabalhador precisará informar no ato da solicitação do benefício o tipo de conta (corrente ou poupança), o número e o nome do banco, o número da agência com o respectivo dígito verificador, e o número da conta de titularidade do trabalhador com o respectivo dígito verificador.

error: Conteúdo protegido !