Pedra sai do PDT e busca partido para confirmar sua pré-candidatura a Câmara Federal

0

RESENDE

O ex-vereador Luiz Fernando de Oliveira Pedra anunciou, nesta quarta-feira, ao jornal A Voz da Cidade sua desfiliação do Partido Democrático Trabalhista (PDT). Pedra, que foi eleito suplente do deputado federal, Marcelo Mattos, nas eleições de 2014, já está conversando com partidos e pretende definir até o próximo dia 15 sua nova sigla partidária. Ele afirma que entre suas condições pleiteadas é de que o novo partido aceite sua candidatura para disputar a vaga de deputado federal nas eleições deste ano e o financiamento de campanha.

Pedra revelou que entregou o pedido de desfiliação ao diretório municipal do PDT, onde ficou filiado por oito anos, na última segunda-feira e que já na terça-feira, comunicou sua saída do partido ao cartório eleitoral. “Minha saída do PDT já era um assunto que estava amadurecendo desde a eleição de 2016 quando disputei a vaga de vice-prefeito na chapa encabeçada pelo ex-prefeito Noel de Carvalho do PSDB. A história do partido é bonita e tal, mas tudo tem um começo, meio e fim”, disse o ex-vereador, confirmando que pretende disputar uma vaga na Câmara Federal nas eleições deste ano. “Como sou pré-candidato a deputado federal a minha intenção é dar continuidade na política. Independente de o PDT já ter um candidato a Câmara Federal, eu já tinha tomado a decisão de não permanecer mais no partido”, completa.

Luiz Fernando, que é suplente do deputado federal Marcelo Matos (PHS), ainda comentou que a falta de apoio das executivas estadual e nacional pesou muito na sua saída do PDT. “Devido o descaso da executiva estadual em relação ao apoio da minha candidatura a vice-prefeito nas eleições de 2016. A própria executiva nacional não se manifestou em fazer pesquisa eleitoral para saber como a gente estava para disputar a vaga ao Executivo. As informações que tínhamos eram só de pesquisas de terceiros. São coisas que a gente vai assistindo, avaliando e pensando. No fim, cheguei a conclusão de que não era o que o partido queria. Eu entendi assim e me senti incomodado. Como diz o velho ditado, os incomodados que se mudem, eu resolvi tomar a decisão. Afinal, os homens passam e as instituições ficam”, disse enfadado o ex-vereador.

DIÁLOGOS COM PARTIDOS

Pedra contou ainda que já está dialogando com diversos partidos e pretende estar filiado a uma nova sigla ainda este mês. “Desde janeiro já venho conversando com alguns partidos e sempre pedia para esperar até março devido a janela eleitoral que deverá surgi, uma vez que sou suplente de deputado federal e para não correr o risco de ser punido por infidelidade partidária.  Estou conversando com diversos partidos para avaliar qual é a melhor sigla para me filiar. A minha entrada em outra sigla tem que ser bem conversada porque agora existe o financiamento de campanha que é feito 100% pelo partido. Por isso, minha filiação tem que ser muito bem acertada”, disse Luiz Fernando, ressaltando que tem até o dia 15 para resolver a questão para poder dedicar a campanha para as eleições 2018. “Tudo é questão de conversa com os partidos. Uma coisa eu afirmo, não abro mão da minha pré-candidatura a deputado federal. Isso é um dos pontos a ser definido para me filiar em um partido. Costumo falar, se não for disputar a vaga para a Câmara Federal não tem conversa”, destaca.

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !