Passageiro de táxi é preso ao se passar por policial militar

0

BARRA MANSA

No domingo, dia 15, por volta das 11 horas, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) prendeu um homem com identidade falsa. O flagrante ocorreu na Rodovia Presidente Dutra.

Segundo os agentes, a PRF recebeu informação sobre um passageiro em um táxi sob atitude suspeita. Diante da informação, foi montada uma blitz em frente ao Posto PRF de Floriano, no sentido Rio de Janeiro, conseguido abordar o veículo Renault/Duster, cor branca, no Km 289. No local, o passageiro se apresentou como policial militar, mas, não mostrou nenhuma identificação funcional, estando visivelmente embriagado. “O motorista do táxi estava muito assustado, nervoso e apavorado, quando foi abordado, abandonou o veículo no acostamento e foi ao encontro dos policiais, pois temia por sua vida”, disse a equipe, explicando que o passageiro pediu que ele o levasse para Volta Redonda (no Jardim Primavera), dizendo que era tenente da PM, que era miliciano. Disse ainda que depois era para o levar até o 28° Batalhão de Polícia Militar (BPM), onde ele conseguiria o dinheiro para pagar a corrida. “Além de falar coisas desconexas”, disse a PRF, explicando que, temendo pela sua vida, o taxista conseguiu avisar a seu filho, que também é taxista, e este alertou a PRF.

O passageiro, além de se mostrar visivelmente embriagado, estava muito alterado e exaltado, “falando aos gritos, exigindo que o taxista o levasse para Volta Redonda. Mas sendo informado pelos policiais que o taxista estava sem condições psicológicas para conduzí-lo, o indivíduo ficou ainda mais exaltado, gritando ainda mais, ficando descontrolado, não atendendo as solicitações dos policiais para se acalmar, baixar o tom de voz e esperar para que fosse encontrada uma solução”, explicou a polícia.

Ainda segundo a PRF, após consultas aos sistemas foi verificado que o indivíduo, de 32 anos, não era Policial Militar, caracterizando o crime de falsa identidade, também verificado que tinha antecedentes criminais por agressão. “Devido aos antecedentes, a estar embriagado, talvez até sob efeito de outras substâncias, estar muito exaltado e ter cometido o crime de falsa identidade, o indivíduo foi detido, sendo necessário algemá-lo para garantir a segurança de todos”, completou a equipe rodoviária.

A ocorrência foi encaminhada para 90ª Delegacia de Polícia (DP) de Barra Mansa, onde o delegado enquadrou no artigo 45: fingir-se funcionário público. Pena: prisão simples, de um a três meses. Onde todos os envolvidos foram ouvidos e o indivíduo liberado para responder o processo em liberdade.