MEP inicia pesquisa sobre rios, córregos e lagos de Volta Redonda e região

0

VOLTA REDONDA
Coletar informações em forma de percepções da sociedade sobre os corpos hídricos, rios, córregos, lagos e outros, de Volta Redonda e região. Esse é o objetivo da pesquisa lançada nesta semana pela Equipe Ambiental do Movimento Pela Ética na Política (MEP).
O sub-coordenador da Equipe Ambiental, professor Michel Bastos, especialista em questões hídricas, lembrou que a sondagem será uma forma de gerar engajamento social e participação ativa na gestão territorial, bem como no conforto e saúde coletiva. Ele destacou, durante o lançamento do questionário aprovado pela equipe, que a pesquisa já está disponível na plataforma googleforms- https://forms.gle/6JePgvaxSUNzurTd7 e ficará disponível até o próximo dia 24.
A acadêmica da área de engenharia ambiental do Centro Universitário de Volta Redonda (UniFOA), Sabrina Arantes, que faz parte da equipe do MEP é responsável pela operacionalidade da pesquisa.
NOVOS OLHARES
Sabrina aposta que o tema irá provocar ‘novos olhares’ frente ao cenário da maior crise hídrica do Brasil. “O cenário da pior crise hídricas dos últimos tempos causada por uma série de condicionantes, como a diminuição da corrente de chuvas, o desmatamento, o aquecimento global, o desperdício de água e outros fatores, acredito proporcionarão ‘novos olhares’ da população”, ressaltou a futura engenheira ambiental.
DEZ PERGUNTAS
O questionário, segundo Sabrina Arantes, é orientativo, com dez perguntas, deixando o respondente bem livre, não só para apontar os desvios, mas também sugerir correções. Até o dia 24 de setembro, de acordo com ela, a equipe receberá as respostas. “Estamos trabalhando para que a equipe do MEP e apoios façam chegar o formulário às associações de bairros, mídias diversas, igrejas, universidades, ONGs, colégios e a diferentes coletivos”, explicou a acadêmica.
Para Sabrina, a percepção territorial da realidade hídrica, as proposições dos cidadãos de Volta Redonda e região trarão, com certeza, importantes elementos para discussão e correções de rumos junto aos organismos governamentais e não governamentais. “Estimamos coletar 500 respostas”, destacou animada Sabrina Arantes.
O doutor em ecologia e coordenador da Equipe Ambiental do MEP, Fernando Pinto, ressaltou a importância da participação e o envolvimento também dos jovens. “Vale ressaltar que, a partir da proposta do professor Michel o envolvimento da equipe no processo passou a ser coletivo. Nos alegramos com a garra da Sabrina Arantes, graduanda em engenharia ambiental, que poderá mais para frente pensar em apresentar o trabalho em seminários acadêmicos”, pontuou o coordenador. Acrescentou ainda que o II Seminário Socioambiental do MEP, a ser realizado no dia 2 de outubro, certamente já conterá extratos da inédita pesquisa hídrica.