Indicação para criação de auxílio emergencial para creches e outras unidades deve ser votada nesta semana pela Câmara de Barra Mansa  

0

BARRA MANSA

A Câmara de Vereadores de Barra mansa deverá votar, nesta semana, a indicação do vereador Gustavo Gomes, que cria o Auxílio Emergencial para creches e escolas de Ensino Infantil e anos iniciais no município. O parlamentar informou que o auxílio, em caráter excepcional para enfrentamento dos impactos decorrentes da pandemia de Covid-19, será destinado aos profissionais dessas unidades devidamente legalizados junto à Secretaria Municipal de Educação.

Em sua justificativa, o parlamentar destaca que tal solicitação se faz necessária visando reduzir o impacto causado neste setor de atendimento pelas creches e escolinhas de pequenos portes de Barra Mansa. “Muitas delas hoje, podem vir à falência financeira pela impossibilidade do desempenho de suas atividades profissionais e por não obter recursos durante este período de pandemia”, concluiu o autor da indicação.

OUTRA INDICAÇÃO

Recentemente, o vereador entrou também com uma indicação e um requerimento no Legislativo cobrando do Governo Municipal uma solução nos horários dos ônibus. O parlamentar pediu ainda informações sobre o atual quantitativo dos veículos de Transporte Público, além de seus horários.

Gomes alega que desde o mês de maio, início da pandemia da Covid -19, esse quantitativo reduziu consideravelmente e, com isso, vem prejudicando a população, principalmente os trabalhadores.

O parlamentar lembrou que a população está sendo prejudicada com a falta de veículos de transporte coletivo, sendo que essa redução ocorreu durante o isolamento social no município, que já foi flexibilizado. Justificou que, com o retorno das atividades, nada mais justo que as empresas aumentarem a demanda de veículos.

Outra solicitação do vereador foi feita também à Secretaria de Ordem Pública. Trata-se  de maior fiscalização nas empresas de ônibus que prestam serviço de transporte no município.

O parlamentar solicitou ainda informações se o município vistoriou ou não o cumprimento do horário dos coletivos durante os meses de pandemia, se houve notificação e quando voltará o efetivo normal.